Sobre a TAP e dos bananas de Portugal.



A questão da TAP está a levantar um problema mais grave do que aquele que é criado pela própria companhia. Falo da apatia e alheação das pessoas para tudo o que é importante. Num país onde as pessoas comentam e preocupam-se mais com o jogo Porto-Benfica não admira que, quem pode faça tudo o que quer em seu favor e dos seus amigos. 

Só num país de bananas (sim de bananas pois cada vez mais acredito que os portugueses são uns bananas) é que alguém pode achar uma companhia com capitais públicos pode fazer os negócios ruinosos que quiser que depois o contribuinte paga. Só num país de bananas é que uma empresa pode ter 50% de capitais públicos mas o serviço público e o interesse público não tem direito a exigir que se zele pelo que é um investimento de todos. Só num país de bananas é que pode aparecer alguém (geralmente do sul - leia-se Lisboa) a achar que um país pequeno tem de ter tudo concentrado num único local. 

A região que mais exporta e, portanto, que mais riqueza traz ao país é a região que, paradoxalmente, mais desrespeito tem (lembre-se o Red Bull Air Race). Também inacreditavelmente, é nesta região que se vê o porquê de Lisboa poder explorar e viver às custas do país. Em vez de se unirem em torno de uma causa de é da região inteira, não. Em vez disto, dos autarcas da região, nem uma palavra, nem mesmo daqueles onde o Aeroporto está situado (Maia e Matosinhos). Dos bananas do povo, ou estão calados e com mais atenção ao futebol ou, pior, acham que isto é tudo um problema do Porto e que, como o aeroporto não está no seu quintal, que isso não lhes afecta e é tudo mais uma manobra centralista mas a Norte. 

Percebe-se bem porque é que o país é pobre, sobretudo, pobre de inteligência e espírito. 

Um país de bananas que não consegue perceber que é o seu dinheiro que está usurpado. Que não consegue perceber que o problema não é a TAP sair ou ficar. Que o problema é o abuso do dinheiro dos contribuíntes. Se a TAP for 100% privada, que faça o que quiser. Se for à falência, azar o dela e dos bananas que lá trabalham que também só sabem fazer greves quando lhes vão ao bolso. Mas a TAP não é 100% privada. A TAP continua a viver de dinheiros públicos. Pior, a TAP está a ser usada por privados, não para seu benefício (da TAP) mas para benefício de outras companhias privadas estrangeiras (nem Europeias são, sequer). 

Por estas razões, que se contínue a roubar. Quando se falar que o Estado lá vai por mais uns milhões, também não há problema. Sobe-se o IVA e o problema está resolvido. O Português, claramente que gosta de ser pobre, explorado e medíocre. Se assim o é, deixe-se ser. Não venham é depois protestar que os impostos da gasolina estão muito altos. Que o IVA está altíssimo ou que se paga muito de IRS. Se querem pagar menos, passem a exigir responsabilidade a quem administra e gere o dinheiro que é de todos. Enquanto não fizerem isso, continuarão a ser uns bananas.

1 comment:

adolescente gay said...

Tens razão no teu texto mas, quando falas do dinheiro investido numa Empresa Publica (E.P.) e tem gestão privada, deves também considerar os milhões dados para o Metropolitano de Lisboa, Carris, Estradas de Portugal... Fundações (Mário Soares, etc)... Curioso é que, quando falas em bananas só me lembro: da cor, rigidez, tamanho... :P


Beijinhos e porta-t mal!! ;)