The Waterboys - Fisherman's Blues

Eu não tinha dito?



Apoiantes de Passos: guerra a Cavaco por causa do PEC - Portugal - DN

Como tinha dito antes aqui, começam já as "pressões" sobre Passos Coelho... Resta saber quanto tempo conseguirá ele resistir e se conseguirá até vingar no final... Vindo do partido que vem, tenho sérias dúvidas. Afinal, não nos podemos esquecer que Passos Coelho estragou a eleição do menino feio de Manuela Ferreira Leite e dos Cavaquistas.

Cavaco já percebeu que Passos Coelho quer mesmo ser Primeiro-Ministro. Era uma desgraça para aquela gente ver Passos Coelho como PM e Cavaco como Presidente. Já imaginaram o galinheiro que seriam as relações Presidência-Governo? Era a ver quem mandava mais. Cavaco sabe que não teria hipóteses de fazer valer a sua opinião devido às limitações de poder que o seu cargo tem. Também sabe que, com eleições à porta, não se pode arriscar a ter um PM do seu partido que o desafie ou, pior, que não o ouça.

Tiques da esquerda... ou será mesmo da direita??


Alemães investigam submarinos portugueses - Portugal - DN

E vejam só que eu pensava que isto só acontecia com Sócrates no poder... Ora vejam lá como estava enganado...

Patrick Cassidy - Vide cor Meum

Afinal parece que não é só deste lado do Atlântico

Chamo a atenção para um post do Ponderantes. É interessante ver que, mesmo em países diferentes separados por um vasto oceano, as coisas são estranhamente parecidas. Podem aceder ao post clicando aqui

The Pilgrim Road - Kingdom of Heaven OST

Pedro Passos Coelho e o futuro.




Agora que Pedro Passos Coelho ganhou as eleições importa que pacifique o partido e, sobretudo, que não entre em tendências populistas como outros candidatos o fizeram.

O trabalho que terá pela frente até às próximas eleições não será fácil pois terá de enfrentar dois grandes adversários, Sócrates que se encontra no poder e como tal detém o "high ground" e os adversários internos que, à semelhança do que se passou antes com outros farão de tudo para o fazer cair.

Terá também de provar que é capaz de fazer melhor que José Sócrates. Para isto não bastará, infelizmente, um bom plano eleitoral. As propostas terão de ser sérias e a melhor estratégia será a de falar a verdade ao país, por forma a ganhar a sua confiança. Pedro Passos Coelho, também não poderá tentar ganhar eleições pelo continuo desgaste do governo e do seu líder, José Sócrates. Terá de fazer para ser poder, demonstrando que é capaz de liderar e unir um partido desfeito por mais de uma década de guerras e guerrilhas internas.

No entanto, tudo isto terá de ser feito numa base de seriedade sem populismos demagógicos, incitamentos a ódios ou jogadas de secretaria. Governo que consiga derrubar José Sócrates por estes motivos, terá vida tão curta como teve o de Durão Barroso. O próximo governo terá de chegar ao poder por força dos seus argumentos. Por isso, PPC terá a difícil tarefa de os elaborar e apresentar com clareza suficiente.

Infelizmente, temo que Pedro Passos Coelho não chegue lá por uma razão ou por outra. No entanto, pela primeira vez desde há muito tempo, ter-se-á a oportunidade de forçar José Sócrates a governar sem determinados tiques. Resta ver quanto tempo isto durará. Vindo do partido que vem, a esperança poderá ser sol de pouca dura.

Para além disto tudo também será importante o contexto em que ocorram as novas eleições. Pedro Passos Coelho só terá vantagem se fizer cair agora o governo. Se se deixar arrastar até às próximas eleições irá sofrer o desgaste disso mesmo o qual poderá ser pior que o de Sócrates, como a história recente bem o prova.

Outra coisa a considerar é contra quem é que PPC vai concorrer. Aqui, concorrer contra Sócrates será tanto vantajoso como prejudicial. Vantajoso pois pode assim melhor aproveitar o descontentamento da opinião pública em relação ao PM e prejudicial pois Sócrates é um hábil orador e já provou que, mesmo face à adversidade, consegue trazer votos suficientes a si mesmo para continuar no cargo. Repare-se que a PPC não interessa ir a eleições para, depois, ser líder na oposição. Caso isso acontecesse, teria ou seria forçado a abandonar o cargo de líder do PSD.

Caso PPC não concorra contra Sócrates, aqui tudo poderá acontecer e tudo dependerá de quem seja o candidato do PS.

Conclusão, se bem que se possa ter, finalmente, achado um candidato do PSD capaz de desafiar Sócrates na liderança dos destinos do país, é ainda cedo demais para sequer se poder dizer que este será o próximo candidato a Primeiro-Ministro.

Morrowind - Nerevar Rising

Because this theme may bring back some memories to some of you. XD

Craig Armstrong - Weather Storm

O fim da pluralidade no Profblog

Em resposta ao seguinte post do ProfBlog, A asneira da semana, deixei um comentário onde referia que se andava a perder o sentido da realidade naquele blogue. Referi que, na verdade as coisas agora, não estão nem como os psicólogos querem fazer parecer nem como, às vezes, se quer mostrar dizendo que as coisas hoje estão um caos e dantes é que estavam bem. Referi também que parecia que as pessoas naquele blogue pareciam que estavam a perder a noção da realidade.

Esse mesmo comentário foi apagado. Pior, depois publica Ramiro Marques o post, Violência escolar? A culpa é da imprensa livre e dos blogues!. Neste post pode-se ler o seguinte:

"Esta tese culpa o mensageiro pela origem das más notícias. Mate-se o mensageiro - leia-se imprensa livre e blogues - e a violência escolar desaparece. É uma tese tipicamente socialista de negação da realidade. Uma tese que explica por que razão o "chefe máximo" quer condicionar a liberdade de imprensa."

Agora refiro a atitude de Ramiro Marques. Apagou o post e, maravilhe-se a liberdade que Ramiro Marques fala, bloqueou a minha conta do Discus. Bem, fala ele que se mate o mensageiro. Pois, ele de facto parece ser perito nisso. Já desde há uns tempos tinha notado que o profblog tinha regredido para um estado onde só lá entre quem vai ajudar à festa. Só quem vai lá para lamentos e insulto ou, então, bater palmas é que não é saneado.

Fala Ramiro de liberdade mas é o primeiro a cortá-la. Note-se que ele, num delírio puro, pois não me parece que uma pessoa inteligente como ele me parece ser possa dizer semelhante tal coisa senão num momento de delírio, diz que a culpa é da "impresa livre". Então, pelas atitudes dele e por esta frase deduzo uma de duas coisas:

1) Ele está a mentir e o que quer é um regresso a uma ditatura onde só os membros da direita conservadora é que têm direito a falar.

2) Ele não sabe o que diz e tornou-se paranóico ao ponto de pensar que, quem critica ou quem não bate palmas à sua teoria do caos em que o PS deixa o país, é "amigo" de Sócrates ou está a seu soldo.

Tirando estas pequenas conclusões, o que é certo é que quem tem "morto os mensageiros" é ele, entre os quais, Miguel Loureiro, o qual tinha sido convidado pelo próprio Ramiro Marques a fazer parte do seu blogue.

É uma pena, pois o profblog, em tempos, foi um lugar privilegiado para o debate entre as diversas opiniões e onde era possível o contraditório. Longe vão os tempos de listas de mais de 100 comentários aos posts de Ramiro Marques. Hoje, infelizmente, vejo que o seu site apenas serve para se bater palmas e se espalhar a teoria da conspiração. É uma pena. Perde-se assim mais um lugar de debate nesta insanidade que se torna a sociedade portuguesa. Onde se passa a crer que as pessoas ou são nossas amigas porque nos batem palmas ou então são bufos e agentes a soldo do "inimigo".&

Não guardo ressentimentos por esta atitude. Já a esperava desde há vários meses por várias razões. Fica antes aqui o lamento por se ter perdido mais um lugar de debate amplo.

Sei, que Ramiro Marques, vai agora indagar pelas suas hostes e por-me o rótulo de mais um "Socratista". Se isso o faz feliz, então que o faça. Quem me conhece sabe bem o que penso e tal não o vou escrever aqui. Chega de mentiras e jogos sujos pela calada da noite. Por esta razão faço este post, para que fique tudo bem claro.

PSD...




Em resposta a um post n'O Jumento deixei lá os meus dois cêntimos, os quais compartilho com os meu leitores pois traduz a minha opinião sobre o que se passa na política portuguesa e porque temos de  um governo de José Sócrates o qual se tem revelado incapaz de resolver os problemas do país. Sugiro que leiam o post original pois está interessante. O link fica aqui.

Por alguma razão [o PSD] não ganham eleições desde que Cavaco saiu de lá. E quando ganham não é por mérito mas por falta de candidatos a correrem contra eles. Há, e mesmo assim ainda precisaram de ir pedir uns quantos deputados emprestados ao CDS-PP de Paulo Portas.

O PSD já deixou de ser partido há muito. Agora é uma colecção de militantes que partilham uma única coisa, um ódio a Sócrates que lhes rouba o poleiro sabe-se lá como, façam eles o que fizerem. É uma colecção de gente medíocre que já não sabe o que defende, que não tem valores e que tem como único interesse voltar ao poleiro. Ninguém se engane. O PSD quer, de facto, chegar ao governo mas esse é o seu único objectivo. Lá, à semelhança do que aconteceu antes (mesmo com maioria absoluta - ainda que bi-partidária), andarão à deriva, ao sabor da corrente e, se correr mal, o líder arranja uma saída qualquer.

Aliás, queriam eles que Sócrates fizesse o mesmo. Mas o homem é teimoso (se calhar também agarrado ao poder) e, por mais pedras que lhe atirem e por pior que corram as coisas, ele levanta-se sempre e não desiste. Por um lado ainda bem, pois se Sócrates é mau, a oposição é uma tragédia. Caso este PSD chegasse ao poder teríamos uma hecatombe nacional onde os bois seriam os próprios portugueses.

One Republic - Dreaming Out Loud

Isto começa a ser patético.


 
E mais uma para o rol... Se isto assim continua, ainda vou ter que colocar uma etiqueta só para este tema... Será que notícias assim param de aparecer?

O curioso desta notícia: "Cardeais católicos, entre os quais o futuro Papa Bento XVI, acolheram um padre que molestou mais de 200 rapazes surdos, apesar das repetidas advertências dos bispos norte-americanos."
- in JN Online.

É este o Papa que vem a Portugal dar lições de moral.

A notícia pode ser lida clicando no seguinte link:
Vaticano encobriu padre pedófilo americano - JN

Idade de consentimento... no Vaticano?


 
Outro dia chamaram-me a atenção para este facto curioso. O Vaticano, ainda que não tenha crianças nem famílias, visto ser um "país" de supostos celibatários, tem, apesar de tudo, uma referência legal à idade de consentimento. Ora bem, é certo que isto é uma herança das leis Italianas quando estar foram transpostas para o Vaticano em 1929. No entanto, é curioso que ao transporem o código penal italiano, não tenham deixado de parte estas leis, as quais acabam por não ter qualquer aplicabilidade na prática. Pelo menos é o que é suposto. Com tanta noticia que tem saído de abusos sexuais de membros da Igreja Católica sobre menores uma pessoa até fica na dúvida...

Mas continuando. Volvidos estes anos todos, era de esperar que as leis então fossem sendo actualizadas de acordo com as leis italianas. Mas repare-se neste facto interessante. A idade em Itália, neste momento, é de 14 anos. No Vaticano continua a ser a mesma que era em 1929, 12 anos...

Curiosidades à parte, fica a pergunta: para que é que um país de celibatários e abstencionistas, precisa de leis de consentimento e tem uma em particular que põe como idade limite 12 anos para se ter relações sexuais?

Lisa Gerrard - Sanvean

 

Wikipedia - Em baixo



O site da Wikipédia está em baixo, segundo consegui perceber. O que andará o Sócrates a fazer agora?...

Edição, 18:15:

The Wikipedia Technical Blog explains,


Due to an overheating problem in our European data center many of our servers turned off to protect themselves. As this impacted all Wikipedia and other projects access from European users, we were forced to move all user traffic to our Florida cluster, for which we have a standard quick failover procedure in place, that changes our DNS entries. 

However, shortly after we did this failover switch, it turned out that this failover mechanism was now broken, causing the DNS resolution of Wikimedia sites to stop working globally. This problem was quickly resolved, but unfortunately it may take up to an hour before access is restored for everyone, due to caching effects.

- retirado The Huffington Post.

V Império - O Castelo

Hoje duas músicas. Esta foi uma daquelas bandas que veio e foi-se sem se se ter notado a sua presença... Pena. Aqui fica o recuerdo. 

Bem dito.

 
 
 
Devido às palhaçadas dos últimos tempos na política portuguesa, dou por mim a ter que me por ao lado de quem já não lá devia estar devido ao mau serviço que tem prestado ao país. No entanto, isto chegou a um ponto em que o mau que lá está é o melhor que se arranja. A ver vamos se o circo que se vive no PSD ganha um líder e não outro palhaço para a festa. 
Em todo o caso fica aqui a opinião d'O Jumento a qual subscrevo. O post completo pode ser consultado aqui.
 
"Os últimos anos vão ficar na história de Portugal como um período negro do prestígio das instituições, um período em que a luta política foi feita com recurso a golpes sujos. A luta pelo poder a qualquer custo tem levado a que muitos dos nossos políticos tentem eliminar em vez de ganhar aos adversários, sem ideias e projectos apostam mais na jogada. no golpe, na manobra oportunista do que em construírem uma alternativa.
 
O problema não é tão recente como alguns querem fazer crer, o que estão a fazer a José Sócrates não é novidade nenhuma, há muito que a alcunha, a insinuação, a falsa informação é usada para eliminar adversários político. Tentaram desvalorizar António Guterres com a alcunha da “picareta falante”, agora vemos Pacheco Pereira muito incomodado com a possibilidade de os assessores deixarem de ser eunucos políticos e exercerem os seus direitos de participação na vida política, está esquecido de quando Patinha Antão era director-geral de Estudos e Previsão do ministério das Finanças e usava esse estatuto para tentar contradizer as opiniões de António Guterres em plena campanha eleitoral. Tentaram eliminar António Vitorino com um a suposta manobra de evasão fiscal quando se veio a provar que o então ministro da Defesa tinha pago impostos superiores aos que eram devidos. Destruíram Ferro Rodrigues e nem hesitaram em tentar envolvê-lo no processo Casa Pia."

"Tenta-se a todo o custo passar a imagem de que o centro de tudo é Sócrates, mas isso não é verdade, este tipo de manobras é muito anterior ao actual primeiro-ministro e o ódio que este lhes motiva resulta do facto de ser teimoso, em condições normais já deveria ter cedido à chantagem."

"O país está a pagar caro a morte lenta do cavaquismo, um grupo de gente que se convenceu de que tem o direito natural a governar e não aceita as decisões dos eleitores, não hesitando em destruir o prestígio das instituições, desde a Presidência da República ao primeiro-ministro, passando pelo Procurador-geral da República, ninguém escapa. Só que os mais ilustres cavaquistas estão mais interessados em ganhar fortunas, nos cargos de administradores não executivos da banca, na advocacia rica da gestão de influências e dos negócios offshore ou dos pareceres jurídicos pagos a peso de ouro do que em desempenhar cargos políticos mal remunerados.

Além de estarem à beira da terceira idade, queimados por escândalos financeiros, acomodados em cargos bem remunerados, com o seu mentor cada vez mais envelhecido, a elite do cavaquismo deixou a luta pelo poder entregue a segundas figuras sem princípios, gente em quem o povo não vê qualidades para governar e que percebendo a sua inferioridade não tem escrúpulos em recorrer ao golpe baixo, chega-se ao ponto de vermos um PSD a concorrer sem um programa e com um discurso que, pelos vistos, só os magistrados de Aveiro percebiam.

A bandalhice chegou a um ponto em que o país corre o risco de vergar sob a crise política e a democracia soçobrar aos golpes baixos. Talvez depois os cavaquistas ilustres apareçam para salvar o país, propondo a suspensão temporária da democracia como, aliás, já sugeriu Manuela Ferreira Leite."

- in O Jumento.

Resposta ao desafio da Em@


- Imagem da Em@,
surripada daqui.


Em resposta ao desafio da Em@, aqui fica então o resultado.

4 sítios para comprar

1- Centros comerciais: felizmente, hoje em dia, temos centros comerciais que nos proporcionam uma comodidade fantástica na aquisição seja do que for. Para comprar uma prenda para alguém são o local ideal pois desde bugigangas inúteis a livros e cds lá há de tudo. XD

2- Comercio tradicional: excelente quando não se quer estar em sítios fechados e se quer aproveitar para dar uma passeata. Para além disto ainda há outra coisa que me faz apaixonar por este tipo de comércio que é o dialogo entre vendedor e comprador. Não sei, tem o seu je ne sais quoi... Ainda me lembro o ano passado, no Natal, quando fui a Ovar comprar pão-de-ló. Fui a esta loja muito pequenina (se bem que, pelo que percebi, o armazém era umas cinco vezes maior que ela), com um aspecto cuidado mas muito velhinho onde os dois vendedores eram os próprios donos, um casal com idade para serem meus avós. Vindo de uma família de comerciantes e tendo, eu próprio aprendido a arte do oficio este género de coisas faz-me falta à alma.

3- Amazon.co.uk: ora, o meu sítio favorito para comprar livros. Nos dias de hoje, livros só em inglês. Por isso nada melhor do que ir a este fantástico site onde arranjo sempre o que quero. O preço consegue, por vezes, ser igual ao da concorrência em Portugal se não mais barato. 

4- Não devia ter sido tão generalista nas anteriores e como agora não me ocorre mais nada... Pingo Doce ou Continente. Porquê? Ora, para além da devida loucura necessária à minha reputação, ficam à porta de casa (ou quase). 

4 manias/hábitos

1- Cheirar livros... Adoro entrar naquelas livrarias antigas onde os livros cheiram a papel e não a plástico. Melhor ainda só entrar num alfarrabista... Já cheguei a comprar livros pelo cheiro. 

2- Ler enciclopédias como se de um romance se tratasse. Que querem que vos diga? Loucura!

3- Ao ler um livro, nunca paro em páginas acabas em 3.

4- Cuscar tudo que diga respeito ao universo da Terra Média de J.R.R. Tolkien. Já agora, gastar fortunas nisso também...

4 cheiros

1- Laranja
2- Café
3- Água salgada do Mar
4- Hugo Boss

4 coisas que me fazem sorrir

1- A chegada do Outono com as cores e o tempinho fresco.
2- As palhaçadas dos meus pássaros.
3- Os amigos.
4- Alguém especial.

Vou quebrar esta parte e passar este desafio a todos os leitores que o ousem fazer.

Now we are free - Hans Zimmer and Lisa Gerrad

O circo da política



Jardim manifesta apoio a Paulo Rangel - JN

Obviamente que Jardim apoia Rangel! O populismo e a demagogia e a clara falta de conhecimentos necessários a dirigir um país/região tem de ficar no mesmo saco. Da mesma forma que um circo não o é sem palhaços ou palhaçadas, também esta gente do PSD só consegue seja o que for se estiver tudo dentro da matilha. 

Jardim deve temer que, se ganhar qualquer um dos outros candidatos, ou a Madeira não tenha mais fundos do que os que tem ou, pior, se lhe acabe a mama. Depois lá se vai o fogo de artificio de ano novo de custa milhões.

One Republic - Too Easy

Não é preciso dizer mais.

Governo "recua" no desvio de fundos comunitários para Lisboa - JN

Ora aqui está uma noticia que por ela diz tudo. O país a trabalhar e Lisboa a mamar. Onde está a novidade?

Ecos da blogosfera


- Fotografia da Em@
Surripada daqui.

Parece que há mais gente a achar estranho o que se diz em comentários de blogues e jornais, ou até mesmo nos próprios, tal como eu disse aqui e aqui. Reparem o estimado leitor no que se diz por aqui.

This Mortal Coil - Song to the Siren

Mais desculpas...

Papa pede desculpa às vítimas de abuso sexual - JN
 
Repito o que disse aqui. Peçam desculpas ao patrão deles quando o virem a ver se ele os desculpa. No mundo terreno, as desculpas não vão fazer as vitimas sentirem-se melhor nem retirar-lhes os abusos que já sofreram. Pior, nesta bonita bola azul, as desculpas destes cavalheiros contrastam com as atitudes discriminatórias das posições oficiais da Igreja.

Dizem defender e ter sempre defendido a família mas são capazes de andarem décadas a abusarem de crianças e a esconder esses factos. Defendem a família mas têm padres a fugirem com raparigas de 18 anos (falta saber o que faria o padre com a dita aos 17...). Defendem a vida, mas  recusam-se apoiar a comunidade internacional na luta contra a pena de morte por causa da orientação sexual das pessoas. Defendem a humildade mas são capazes de gastar 200 mil euros num altar que vai servir durante um par de horas e depois é para deitar ao lixo. Defendem a pobreza mas a Igreja Católica é dona de uma imensa fortuna ganha não digo como. Mais, o Papa tem tinas de ouro para lavar os pés e os padres andam de Mercedes.

Afinal parece que o que esta gente defende é a hipocrisia.

Se em Portugal fosse assim...


Obrigado a Paulo Prudêncio por o ter publicado no seu blogue correntes.

(An) Ordinary Day

Publico ou privado - O remate.




É por estas atitudes que a política e o exercício da mesma se encontra no estado que está. Aliás, eu diria que é por estas intransigências, as quais são comuns e transversais à sociedade que é tão difícil fazer seja o que for. Pena que Miguel Vale de Almeida se esqueça que foi e é vitima de posições igualmente intransigentes no que toca aos direitos dos LGBTs. 

Mas como se costuma dizer, cá se fazem, cá se pagam. A razão pela qual o casamento entre pessoas do mesmo sexo e tudo o mais relacionado deu no que deu e ainda a procissão vai no adro, é a mesma pela qual MVDA agora diz o que diz. A incapacidade do português actual aceitar compromissos e admitir que está errado. Esta self-serving atitude não só não fica bem, mas que se lixe o ficar bem, pior é que fere a sociedade como um todo pois é destrutiva em relação à própria.

Como conclusão deixo o meu comentário final lá no canto do Miguel Vale de Almeida e mais não digo. Para surdos é-se mudo.

É essa postura quanto aos pontos 2), 3), 4), 6), 7) e, principalmente, a 8) que retira cada vez mais credibilidade aos órgãos de soberania. 

Infelizmente isto tem repercussões mais graves do que o Miguel, aparentemente, recusa encarar. 

Já imaginou o que era os seus alunos todos em chats e coisas afins enquanto você tenta dar a aula? É que para se defender a sua posição e postura enquanto deputado terá que permitir o mesmo nas suas aulas. Suponho que não lhe seja agradável estar a dar uma aula sabendo que os alunos estão mais interessados noutras coisas… 

Como disse, é lamentável que assim pense e aja.

Em todo o caso, o mundo faz de opiniões e somos livres de as ter e agir de acordo. O futuro tratará de julgar as nossas acções e os que vieram depois de nós também o farão. 

Até lá, mantemos a nossa divergência quanto à atitude a ter na assembleia na República a qual é a verdadeira razão pela qual os jornalistas perdem tempo a tirar fotografias aos ecrãs.

Obrigado pela troca de argumentos.

Cumprimentos e um bom trabalho.

Público ou Privado?



No seu blogue, Os Tempos Que Correm, Miguel Vale de Almeida refere hoje que houve uma irritação pela parte de alguns deputados pelo facto de os seus ecrãs de computadores estarem a ser alvo de fotos. Chama-lhe voyeurismo e defende é os ecrãs são do foro privado e que as fotos são, portanto, uma violação dessa mesma privacidade.

Como discordo desta opinião e penso que é algo mais importante do que pode parecer à primeira vista, publico aqui o comentário que lá deixei ao qual Miguel Vale de Almeida respondeu amavelmente. A quem interessar poderá consultar o site no link acima indicado.

Com todo o devido respeito, não podia discordar mais da sua posição.

Na Assembleia da República os deputados estão para trabalhar. Os computadores estão lá para facilitar esse trabalho. Contas de email privadas e outros documentos privados são para serem lidos e vistos antes e depois das sessões.

Enquanto no exercício das funções de deputados, estes estão a cumprir um serviço público e o que fazem nesse exercício é e deve ser do conhecimento dos eleitores. Se isso implica tirar fotografias aos ecrãs, que assim seja. 

Os deputados que não queiram ver a sua vida privada nas capas dos jornais ou revistas deverão aceder a esses materiais nos seus gabinetes ou residências ou outro sido qualquer que lhes conceda essa privacidade. Aí terão todo o direito de se queixar e até poderem processar quem viola essa privacidade.

Agora durante o exercício das suas funções, essas deverão ser públicas. O que chama privacidade e deduzo que considere uma violação da privacidade da mesma as fotografias, eu chamo transparência.

Cumprimentos.

Comentário de leitor do JN




Porque este comentário é daqueles úteis e, em poucas palavras, consegue demonstrar o que disse neste e neste post.

Vítor 18.03.2010 - 11:15

"Quanto o assunto é homossexuais, os comentários são às largas centenas e têm a lata de dizer que se devia pensar em assuntos mais importantes do que nos direitos dos gays. Quando o assunto é um professor de matemática que consegue cativar os seus alunos com um método extremamente inovador só duas pessoas colocaram comentários."



Acrescento o seguinte em relação à notícia em causa. De facto estranha-se que o maior grupo transmissor de HIV-SIDA seja aquele que pode dar sangue. Também se estranha esta de dizer que um grupo, seja ele qual for, não pode doar sangue porque é um caso de risco. Mas então não se fazem análises ao sangue antes de o usar? Pois claro que fazem.

Concluo então que o país não tem falta de sangue, aliás, deve ter é excesso de sangue por se rejeitar um grupo inteiro de pessoas (discriminações à parte).

P.S.: Os comentários eram tão fantásticos que, pelos vistos, desde a altura que os li até agora foram removidos... Pena... Fica este...

P.S.: No Público também tem alguns interessantes e comprovam o mesmo. Fica o link aqui da notícia não vá ela desaparecer também do site.



Paulo Rangel

O que mais impressiona em Paulo Rangel é a sua capacidade de martelar sem pensar e muito menos raciocinar o que lhe sai da boca, o homem não é um orador, é um martelo pneumático, basta dar-lhe ar e ele matraqueia com aquela voz esganiçada de quem sai à tia. No congresso fez a figura que fez ao deixar passar a lei da rolha, no que foi imitado pelos seus pares de candidatura, mas como não lhe bastou estar a dormir vei armado em parvo dizer que foi o primeiro candidato a protestar, como se fosse um mariola da primária a antecipar-se aos colegas no arrependimento.

Agora veio discursar sobe o PEC e foi incapaz de esconder que nem sequer leu o documento, limita-se a ter uma ideia sobre o seu conteúdo e a ligar o martelo pneumático, só isso explica que diga que o documento tem 30 páginas, quando toda a comunciação social falou em cem. Deus livre o PSD desta degenerescência cavaquista.

«Este PEC não tem ao longo de 30 páginas uma única medida que aponte para o crescimento, só para a estabilidade”, disse. » [Público]

- in O Jumento (O Jumento do dia - quinta-feira, 18 de Março, 2010)

The Fear - Lily Allen

É por isto que o país está na... tristeza que está.



Enfermeiros 'recusam' aumento de 17,7% no salário - Portugal - DN

Claro, enquanto que mais ninguém tem aumentos sequer, estes cavalheiros recusam um aumento de 17,7%. Temos um país no estado que está. Todos sofrem cortes ou, na melhores das hipóteses, não têm aumentos e esta gentinha recusa um aumento de 17,7%. Pior ainda, se esta gentinha ganhasse pouco, tipo o salário mínimo mas não, já ganham cerca de 1000 euros por mês. Note-se que o salário mínimo é metade e o médio ronda os 700-800 euros. O governo propõe-lhes um aumento de 17,7%, passando o salário para 1201,48 euros, e eles dizem não, não nos chega! 

Proponho uma coisa. Aumente-se o salário da função pública em 5000 euros mês. Vamos ver quanto tempo aguenta o país sem ir à bancarrota.

De facto, eu gostava de saber é em que país vive esta gente! Bem, se calhar, por estas posições, nem eles próprios sabem bem...   

E eu que procurava provas disto...


- Imagem retirada daqui.

Há muito tempo procurava provas de que cada vez mais as pessoas estão cegas e limitam-se a fazer o que lhes dizem. Muito me contradisseram. Muitos me disseram o quanto errado estava. 

Leiam a noticia seguinte e vejam, afinal, quem estava enganado...

Resumindo a noticia da BBC News, diz ela então:

Postos perante um programa de televisão em que os concorrentes "davam" choques eléctricos até 380 V aos seus concorrentes por cada resposta errada, todos foram quase até ao fim, isto é, até ao ponto que o último choque seria fatal (apenas 16 dos 80 participantes pararam no penúltimo choque). Mal sabiam os concorrentes que estavam a ser enganados e que os seus supostos concorrentes eram, na realidade, actores. 

Podem aceder à notícia da BBC aqui e podem aceder ao site da France 2 onde se fala disto também aqui

De desculpas está o inferno cheio.

Primaz da Irlanda pediu desculpa por não ter denunciado abusos sexuais - JN

Pois, desculpas e mais desculpas. Mas isso agora evita os traumas por que passaram as crianças? Será? E porque não fez nada este senhor na altura que soube as coisas? 

Ele que vá mas é pedir desculpas ao patrão dele e que se vá justificar a Ele. Talvez O consiga comover... Ou então não pois penso que a paciência tem sempre limites. Começo a pensar é que esta história do divino tem pouco de divino e já nem os padres, bispos e afins acreditam naquilo que defendem ou dizem e pedem a outros para acreditar.

É mais uma fresquinha!




É mais uma fresquinha para juntar às outras. Isto começa a ser patético... Ainda me vêm dizer que é esta gente o garante seja lá do que for.

Padre de 82 anos abusava de jovens - Globo - DN

Um país que vive da inveja, insulto, calunias e intrigas - Parte 2.


- Imagem retirada daqui.

Na blogosfera, muitos são os bloguistas já aprenderam isto e multiplicam-se agora os blogues onde são reis o insulto, a injuria e onde só se diz o que é popular dizer. Nestes blogues, a opinião muda conforme o estado de espírito das pessoas ou então muda-se de tema para evitar ter que se insultar quem os apoia ou, pior ainda, elogiar quem eles anteriormente insultaram e difamaram. E ai de quem não vá na onda... Mas já lá chego.

O que importa agora, na sociedade portuguesa, já não é a verdade nem a busca das soluções. O que importa agora é arranjar-se uns bodes expiatórios para onde canalizar todas as frustrações que resultam do facto dos portugueses saberem perfeitamente que o país está no estado que está por culpa própria.

Voltamos então ao início. Para evitar a realidade, lá voltam as festas, lá se vai ao futebol ou se perde tempo a ler uma intriga qualquer. Se for não isto, vai-se para um sitio qualquer insultar tudo e todos.

Dou o exemplo dos recentes casos de bullying. Casos sérios foram ignorados até alguém morrer. Foi o aluno (que já há quem diga que não foi suicídio - o que até pode ser verdade visto que as crianças de hoje estão habituadas pelos bons exemplos dos adultos a não pensarem nas consequências do que fazem) e agora foi o Professor (que dizem que era psicologicamente frágil).

Agora repare-se no que fazem os portugueses. Uma grande parte fica-se pelos lamentos e carpe mágoas em todos os cantos da vida pública (transportes públicos, cafés, restaurantes, na rua...) e, agora mais recentemente, em blogues, fóruns, comentários em jornais online e tudo o mais que por aí anda na internet.

Os que não se vão expressar os seus lamentos, partem para o insulto de tudo e todos da forma mais vil e irrealista possível e imaginária. Poucos são os que de facto procuram solucionar o problema. Felizmente, ainda os há mas temo que sejam uma espécie em vias de extinção. Se não forem mortos pelo silêncio e inércia alheia serão trucidados pelos lamentadores e insultadores de profissão. É que se não se tratar da saúde a quem as verdades diz, a quem age no dia-a-dia para mudar as coisas, ainda se acaba a festa que Portugal vive.

Mas ainda há outra vertente mais interessante de toda esta situação que é quando os insultadores e os lamentadores profissionais são confrontados com as suas acções. Rapidamente se muda o alvo e se insulta o novo interlocutor. Quando não se consegue insultar os argumentos ou contra-argumentar, parte-se para denegrir a imagem das pessoas, parte-se para o insulto pessoal. Lá está, ainda se acaba a festa se não se fizer isto...

Repare-se ainda, que a falta de decoro das pessoas é tal que decidem insultar uns com os insultos para outros. Tudo isto é revelador do nível intelectual que grassa a sociedade portuguesa independentemente de profissão, crença, idade, cor partidária, clube de futebol, raça, sexo ou orientação sexual.

Comentários úteis, opinativos ou relatores de factos tal como eles são na realidade, sem distorções por conveniência, são poucos ou nenhuns. As pessoas perderam a noção da realidade. Demasiados Big Brothers, telenovelas e filmes do Michael Bay, certamente...

Hoje em dia, na vida e na internet opiniativa, já não importa do que se fala, só importa que dê para se insultar alguém ou falar da vida de alguém ou dizer mal de alguém. Se não for para isso, servirá para se carpir as mágoas.

E assim vai o país. Onde todos cobiçam a casa, carro e mulher/homem do vizinho/a, onde muito dificilmente se consegue falar seja do que for porque rapidamente se parte para o insulto ou lamuria. Onde a melhor conversa e a que mais apetite traz para soltar a língua é aquela onde se pode falar da vida alheia. Onde se drogam as pessoas com intrigas sobre tudo e todos.

Porque não tenho falado muito de educação.




Falar de qualquer coisa séria nos dias que correm em Portugal, é um exercício inútil. Insultos, intrigas, demagogias baratas... Anda tudo às avessas. Os partidos políticos brincam e gozam com a opinião pública a qual tem-se mostrado burra o suficiente para ir em cantigas, venham elas do PS, PSD ou de outro partido qualquer. 

Somos governados por gente que age de má fé e os candidatos a governantes com má fé agem. Pior, os que vão às urnas votar, votam cega e estupidamente. Votam como fidelidade à casa pois dela dependem os tachos e favores. 

Enquanto os partidos se moverem por interesses próprios e que nada têm a ver com o interesse em governar o país e a sociedade civil comer com os dejectos que lhe atiram aos ouvidos, não vale a pena discutir nada. Só valerá a pena discutir quando houver alguma intenção de resolver os problemas. Isso, prevejo, não acontecerá nos tempos mais próximos. O auto-interesse impera, a inveja governa e a falta de escrúpulos cresce a olhos vistos. Não há interesse em resolver nenhum problema muito menos os da educação. 
Os pais não podem ser chateados nem perturbados com o que se passa na escola. A única coisa que lhes interessa é as notinhas ao fim do ano e que os pirralhos não os chateiem muito. O governo, bem esse não tem interesse em resolver nada pois resolver implicava deixar de ter números bonitos para mostrar na OCDE. Finalmente os Professores. Neste grupo há de tudo. Há boa e má vontade q.b.. Infelizmente, aquilo que é comum há maioria é, seguindo as últimas tendências da moda, a preservação do auto-interesse e de terem o mínimo de incomodo possível.

Fala-se de bullying mas poucos são os que se metem ao barulho quando a situação assim o exige. Fala-se em protestos mas os únicos que houve foram contra as medidas que mexiam directa ou indirectamente no bolso dos professores. Já referi antes e volto a perguntar: manifestações por melhores manuais e programas, para quando? Os sindicatos disto não falam e todos sabem bem porquê. Os movimentos falam mas, ou falam pouco ou são pouco ouvidos. Os professores a título individual, bem ai temos uma panóplia de opiniões mas depois volta a faltar a acção.

Enquanto o país estiver com esta mentalidade e, na educação, se seguir o exemplo não vale de muito falar e propor seja o que for. É mais útil insultar-se e ir-se para as intrigas e teorias da conspiração. Honestamente até percebo. Os poucos que têm interesse em melhorar o ensino e que agem de acordo rapidamente perdem a motivação perante tamanha inércia e egoismo que se gerou. É o "um por um e todos por nenhum". 

Assim sendo, mais vale estar calado. Gostaria que me provassem que estou errado... Gostaria que, já amanhã tivesse de escrever um reparo a este post... Esperarei... Mas sentado porque tenho a impressão que de pé me cansarei.

"Lei da rolha" introduzida nos estatutos do PSD estraga a festa, pá! - Política - PUBLICO.PT



"Lei da rolha" introduzida nos estatutos do PSD estraga a festa, pá! - Política - PUBLICO.PT

Alto que agora fiquei confuso. Não foram estes senhores que andaram e andam a dizer que há falta de liberdade de expressão no país? Não foram estes senhores que apoiaram uma comissão de inquérito por causa das palhaçadas intriguistas na comunicação social? E não foi Manuela Ferreira Leite que disse que Sócrates não sabia o que era democracia? E não foram eles que também andaram para aí a falar em referendos para isto e para aquilo porque o país precisava de se expressar? Então agora, dentro do próprio partido deles, proíbem a critica? Estou deveras confuso...

Serei eu que ouço mal ou será que é esta cambada de mentirosos e aldrabões que não mede o que diz e não sabe o que anda fazer? Pois... Claramente que devo ser eu que ando a ouvir mal...

Ainda uma última nota. Leia-se:
"Mas quando foram chamados a votar, passava das 15h30, já não havia congressistas suficientes para fazer o quórum de 3/5 dos delegados. Aliás, as mudanças estatutárias mais emblemáticas propostas por Santana ("directas" no congresso e a segunda volta) ficaram pelo caminho num congresso de debate, e em que participaram cinco ex-líderes."

Com um partido que exige democracia aos outros mas que sufoca as vozes internas, um partido que acusa os outros de serem isto e aquilo e depois copia-os, um partido em que os delegados vão embora antes das votações... Bem só um cego (note-se a diferença de cego para invisual) é que pode acreditar que este PSD é uma alternativa seja a quem for. 

Agora só falta virem dizer que foi o Sócrates que manipulou todo o congresso. Se calhar, ainda vamos ouvir Manuela Moura Guedes dizer que Sócrates telefonou para todos os delegados ao congresso do PSD para estes aprovarem a ridícula e patética "Lei da rolha" e irem-se embora depois... Ah! E é claro que deu conhecimento ao Rei de Espanha.

Que palhaçada. Bem dizia outro dia a Anabela Magalhães em comentário aqui no blogue: este país é louco! Internem-se todos... arre.

Professor vítima de 'bullying' tinha "fragilidade psicológica" - Portugal - DN

 
Professor vítima de 'bullying' tinha "fragilidade psicológica" - Portugal - DN

Fragilidade psicológica... Ora bem. Deixem cá ver os factos. O Professor era insultado todos os dias. Tinha de aturar maus comportamentos todos os dias. Dava (ou se calhar tentava dar) aulas a quem não tem respeito por nada nem ninguém incluindo eles próprios. Isto durante tempos a fim. Fragilidade psicológica portanto... Gostaria de ver o senhor que proferiu estas declarações numa situação semelhante e queria ver como é que ele reagiria. Provavelmente, da mesma maneira. 

Se calhar estamos perante fragilidade de facto mas não é psicológica, é antes intelectual e é da parte de quem tem a ousadia de dizer estas barbaridades.

Um país que vive da inveja, insulto, calunias e intrigas - Parte 1.



- Imagem retirada daqui.

Ultimamente tenho andado a aperceber-me de um fenómeno interessante que, existindo já em larga escala na sociedade "real" passa agora, como não podia deixar de ser, para sociedade "virtual".

Em Portugal, o populismo desenfreado sempre existiu e sempre foi fomentado por quem pode e comido por quem deve. Aliás, arrisco dizer que se criou uma dependência dele como se um vicio se tratasse. Hoje já não se vive sem ele.

Mas então que populismo é este ao qual me refiro? Bem, é o populismo no seu verdadeiro e literal sentido, daquilo que é popular. Neste matagal à beira mar plantado, o que se quer é festa e "jorda". Os portugueses ficaram habituados a viverem em constantes festas e "jordas". Certamente para esquecer os problemas que os rodeiam. Os portugueses são um povo fraco que não sabe lidar com as adversidades (ou adversários). Perante algo que se opõe a ele, um português desvia-se, recusa-se enfrentar a adversidade procurando sempre a saída mais fácil. Para isto, nada melhor que a referida terapêutica das festas e "jordas". O que importa é que toda a gente possa berrar e insultar, deitar cá para fora todos os excrementos que lhe ocupam o cérebro.

Repare-se o que move este país. Festas, futebol e intrigas. São os jogos de futebol que levam todos a porem uma bandeirinha (comprada nos chineses pois são mais baratas - que importa se estão ou não bem feitas ou se até são contrafeitas) na sua janela. A visita do Papa interessa pois é mais uma festa que se vai fazer, até já se fala em colocar qualquer coisa ao dependuro na janela também. Finalmente aparecem as intrigas. São os casos "mediáticos" que sabe lá Deus como vão parar aos jornais, são as negociatas estranhas deste e daquele, são as teorias de conspiração deste e daquele sobre o outro e o aqueloutro... Por aí fora.

Veja-se como ficam os portugueses contentes quando algum político, dirigente sindical, comentador ou algo parecido, vem para a comunicação social insultar alguém. Não importa quem. Se se concorda pede-se logo o linchamento do insultado, se não se concorda pede-se o linchamento do insultador. Agora repare-se quando alguém vem dizer coisas sérias e, geralmente, desagradáveis ao ouvido mas de forma tranquila e sem insultar ninguém: muda-se de canal, vira-se a página de jornal para a secção desportiva ou compra-se uma revista cor-de-rosa. 

Rangel quer um governo, uma maioria, um presidente - Portugal - DN


Rangel quer um governo, uma maioria, um presidente - Portugal - DN

Calma lá! Mas não era o PSD que dizia, no tempo da eleição de Jorge Sampaio, que era muito mau para o país um partido controlar o Governo e o a Presidência da República? E não foi o PSD também que, ainda nas últimas eleições, e se calhar antes, argumentava do perigo das maiorias? Mas estamos a falar do mesmo PSD ou este PSD é de outro qualquer país e o DN enganou-se na citação? 

Pois, também me parece que não. Parece mais que temos mas é mais um candidato "feirante" e notoriamente mal preparado, bem como demagógico à liderança desta coisa que de partido político já tem pouco. Assemelha-se mais a um capoeiro com muitos galos a quererem todos saltar para o mesmo poleiro. Um dia ele parte de tanto peso...

Não nos vamos esquecer que este senhor, que defende agora a social democracia, esteve inscrito como militante do CDS-PP (que pode ser tudo menos social democrata) e ainda não se lembra disso. Oxalá, caso ele ganhe a liderança do PSD, também não se esqueça do lugar que tem no Parlamento Europeu... Ah pois, ela já tinha dito que saia de lá assim que aparecesse algo melhor...

Cavaco manda casamento gay para o tribunal - JN



Cavaco manda casamento gay para o tribunal - JN

Leia-se:

"Cavaco Silva requereu a fiscalização preventiva de todos os artigos da proposta socialista, excepto o que proíbe a adopção por homossexuais."
- in JN Online.

Repare-se que o que mais preocupava as pessoas que rejeitavam e, presume-se que ainda rejeitam, o casamento homossexual, a adopção por estes casais, não foi enviado para fiscalização. Porquê? Ora, é muito simples. Na continua linha perfeitamente demagógica (para não dizer aldrabona) de Cavaco Silva, este sabia e sabe perfeitamente que, por decisões anteriores do TC, a constitucionalidade dos artigos não vai ser posta em causa. Já no caso do artigo da adopção o caso seria e é diferente. Aqui era o inverso. Aqui era quase certo que o TC iria chumbar este artigo. Nada deixaria mais contente o Presidente e seus seguidores [a]moralistas com tal decisão não fosse o facto que, estando o artigo chumbado, a solução passaria necessariamente por retirar o mesmo do texto, ou seja, por outras palavras, permitir a adopção por casais do mesmo sexo. 

Mais uma vez, Cavaco Silva, mostra o quanto demagógico é. Sabe bem o resultado e faz só isto para capitalizar uns quantos votos que, muito provavelmente, tanto vai precisar para ser reeleito. Comprava-se que temos um Presidente que não sabe o que faz e que a sua única intenção é continuar e manter o seu feudo.

Bullying - comentário transformado em post




Decidi transformar um comentário que fiz no profblog em post. Eu sei que disse que não falaria aqui sobre isto mas achei que o assunto assim o merecia. Isto vem no seguimento da noticia da morte do professor que andava a ser vitima da indisciplina dos seus alunos. Podem ler a notícia aqui.

Bem, vejo mais uma vez que me dão razão a posteriori. Pena ser sempre com atraso. Logo no inicio falei sobre o facto do bullying não ser exclusivo dos alunos e por isso não ser exclusivo da adolescência...

O bullying existe noutras variantes. Criança para adulto, adulto para criança e ainda adulto para a adulto.

O caso noticiado agora é de criança para adulto, mais concretamente, de alunos para professor. Mas não se devem esquecer as outras vertentes.

De facto, há adultos que, por inseguranças ou deficiente desenvolvimento pessoal, continuam a praticar bullying. Fazem-no aos colegas de trabalho, à própria familia e, sobretudo, a quem não se consegue defender facilmente. Trago à baila de novo o caso da professora de Espinho. O que se passou na aula e o que aquela senhora disse foi de uma violência psicológica para com os seus alunos que nada mais foi que um caso de bullying. Também terá havido bullying da parte dos pais neste caso também.

Por isso, embora fique agradado por se começar a ver o bullying pelo que ele realmente é, lamento que só agora se perceba que isto não é só comportamento entre crianças. Porventura, o bullying entre crianças nada mais será do que um comportamento mimético do que elas vêem nos adultos... Pior, fazem-no porque também sabem que não sofrerão consequências.

Agora, o bullying nas crianças consegue-se resolver com atenção dos adultos. No caso de ser em ambiente escolar, requer a atenção de funcionários e professores e das respectivas direcções das escolas. Não se pode continuar a virar a cara para o lado e assobiar como me parece que aconteceu no caso noticiado do Leandro. É preciso agir nas alturas e agir com força e determinação. Não pode haver espaço para dúvidas.

Mas e o bullying entre adultos ou, contrariamente a este professor deste 9º B, o bullying de professores a alunos? Não será grave também? Querer-se-á branquea-lo? Não será igualmente grave um professor tomar um aluno de ponta, como se diz na gíria, e por isso submete-lo a violências psicológicas, como não lhe dar a nota devida ou po-lo de parte perante os colegas de turma? Ou então o contrário, tomar um aluno como favorito e conceder-lhe favores que não concederia aos restantes? Não me tentem dizer que estes casos são pontuais porque isso, para além de não ser inteiramente verdade, não diminui a gravidade deles. Nem tão pouco tentem dizer que isto não acontece pois todos sabemos que é mentira.

Quantas vezes não ouvi eu colegas a negarem-se a dar as notas devidas aos alunos pelos motivos mais mesquinhos possíveis ou então, simplesmente porque podem.  

Penso que o bullying é um assunto demasiado sério para o usar como método de vitimização dos professores e para se tentar avançar outras agendas ou, ainda mais grave, para se partir para ataques a sindicatos e afins (ironia esta da vida que eu que tanto tenho dito acerca da má actuação dos sindicatos, dê por mim, nesta altura do campeonato a defendê-los). Afinal, não serão os membros dos sindicatos professores também? E a actuação dos professores quanto ao bullying tem sido algo de louvar? O que aconteceu na escola do Leandro poderia ter acontecido em qualquer outra e, creio, que o resultado não seria diferente.

O bullying tem de ser tratado de forma séria, sem vitimizações nem tentativas de avançar outras agendas. Fale-se sério com propostas e soluções para se quebrar a inércia e desinteresse instalado. Penso que reduzir o debate do bullying a vitimizações e troca de experiências, por muito terapêutico que possa ser, não resolve o problema. Já todos sabemos o stress a que os professores estão hoje sujeitos. Ora bolas, todos o vivemos de uma forma ou de outra.

Agora o importante é olhar para o bullying com realismo e justeza, sem branqueamentos e sem desculpabilizações. O bullying existe e existe de várias formas. Há que combatê-lo e isso cabe-nos a todos. Leis? Autoridade? Nada resultará se as pessoas em causa não estiverem dispostas a ter alguma inconveniência na vida. Sim porque o bullying não se resolve facilmente devido à sua complexidade, logo dá trabalho e implica esforço e atenção. Coisas que hoje poucos estão dispostos a ter.

Para quem quiser ler mais sobre este assunto pode consultar a Wikipédia no endereço em baixo.

Jovem agredido em justiça popular acabou por morrer - Portugal - DN



Jovem agredido em justiça popular acabou por morrer - Portugal - DN

Leia-se:

"Alegadas brincadeiras de mau gosto e distúrbios levados a cabo pelo grupo, e para as quais a PSP já tinha sido alertada, terão estado na origem dos agressores. "Eles andavam por aí, a atear fogueiras à porta das lojas e das casas. Parece que um dos familiares ali de um talho não aguentou e foi para cima deles, as pessoas viram e foram atrás", apontou um dos vizinhos da urbanização Lagoa, onde tudo terá acontecido."


Digam lá que este país não é uma coisa fantástica? Agora pergunte-se o seguinte: acha alguém que com mentalidades e comportamentos destes o país pode ir a algum lado? Acha alguém que este país é um país civilizado? De facto, bem verdade é aquilo que se diz: Portugal é a última colónia africana da Europa. E fala-se no mesmo país onde se faz isto, da violência do Brasil, da violência dos fundamentalistas islâmicos e coisas afins. Se calhar, antes de se olhar para fora devia-se olhar para dentro.

Moralismos da sanita...



Correio da Manha - Sacerdote tinha harem de rapazes

Ministra alemã acusa Vaticano de bloquear investigação de abusos sexuais - JN

Escândalo sexual no coro dirigido pelo irmão do Papa - Globo - DN

A juntar aos dos EUA, Irlanda chegam os da Alemanha e da Áustria. E é claro que não vamos esquecer os outros todos que já apareceram pelo caminho. Padres a fugirem com raparigas de 18 anos para se casarem, Padres a prostituírem-se a si e a outros... Ainda se lembram do Padre Frederico? Pelo que já ouvi continua a exercer sacerdócio no Brasil... 

Entre abusos sexuais e, na Alemanha, violência física, querem estes senhores defender moralismos e moralidade alheia. Querem vir convencer alguém do que deve ser moralmente aceite ou não. Querem estes senhores defender a família... Pois, percebe-se. Há que criar novos rebentos para o stock não se esgotar. O triste é ainda haver alguém que consegue defender esta instituição decadente, imoral ou amoral ou ambas... O refugio de "todos cometem erros" é algo que aqui não cola e só quem se recusa a encarar a realidade é que consegue repetir esse chavão. 


A Igreja é uma instituição que prega maneiras de viver como correctas e dignas logo não pode dizer uma coisa e fazer outra. Pior ainda, não pode exigir que outros cumpram seja o que for quando ela própria é a primeira a violar as suas próprias leis. 

Pena é mesmo que as pessoas não encarem a realidade e vejam a Igreja pelo que ela é. Uma instituição que foi criada para servir um Império em decadência e que depois evolui para se servir a si própria. Fé? A Fé da Igreja Católica morreu há muito. Morreu quando começaram a perseguir outros por pensarem, agirem e serem diferentes do que eles pregavam. Já nesse tempo, o dizer e fazer da Igreja eram coisas diferentes. 

Todos devem ser perdoados... Pois bem, digam isso eles às vitimas da Inquisição. Digam isso eles às vitimas das Cruzadas. Digam isso eles às crianças violadas que vêm os seus violadores à solta e perdoados e prontos para continuarem a violar. Digam isso às vitimas do regime do Estado Novo o qual foi apoiado pela Igreja Católica. Digam isso às vitimas do regime Nazi na qual a Igreja Católica ficou calada (já agora, não nos vamos esquecer o senhor Ratzinger enquanto membro da Juventude Hitleriana). Digam isso às vitimas da SIDA em África, as quais são convencidas em não usar preservativos. Fico-me por aqui.

Resta-me apelar ao bom senso das pessoas para que abram os olhos e deixem esta cambada de gente sem escrúpulos e moral sem a audiência que tanto sustento lhes dá.

P.S.: Volto a perguntar. O palco para o Papa dar uma missa e que vai custar 200 mil euros já tem quem o pague? É a Igreja ou é a Câmara de Lisboa afinal?

Apelo

Por aquilo que já tinha dito aqui tão cedo não falarei muito do que se passou há uns dias atrás com Leandro de 12 anos que morreu, suspeita-se, devido a ser vítima de bullying. No entanto, venho deixar os links para blogues que estão a fazer apelo a 1 minuto de silêncio. A razão porque não faço um post também a apelar e deixo apenas o apelo de outros é simples. Não se trata de indiferença. Não se trata de ignorar o que se passou. Trata-se antes de não entrar, no que eu considero, serem acções do momento para aliviar a consciência de alguns que a devem (e deverão) te-la pesada.

Não tenho nada contra este momento mas este minuto de silêncio só fará, do meu ponto de vista, isso mesmo, aliviar a culpa que alguns sentem por causa da situação (não me refiro a nenhum dos autores dos posts que aqui colocarei. Aliás, não me refiro a ninguém. A quem servir a carapuça, que a enfie.

Contudo, por muito que se faça agora, e este momentos de silêncio são o que de menos útil há a fazer, nada fará com que Leandro viva de novo. Nada apagará a mágoa (se calhar também consciência pesada, não sei) da família e amigos desta criança. Todos terão que aprender a viver com a sua ausência e com a razão da sua ausência também. Este minuto de silêncio não lhes apagará a mágoa a qual só seria apagada por um milagre o qual, tenho a certeza, não acontecerá. 

Este minuto de silêncio servirá somente para tratar a alma dos vivos. Dos que podiam fazer e nada fizeram e dos que quiseram fazer e não puderam... Já agora, também dos que fazem e mesmo assim não conseguiram evitar esta morte por causa da inércia e indiferença da sociedade, comunidade escolar e, por ventura, família.

Deixo então os links.


A Igreja e os seus escândalos as quais já pouco escândalo provocam...



Escândalo sexual envolve assessor de Bento XVI - JN

Vaticano afasta corista que fornecia prostitutos - Globo - DN

Escândalo sexual no coro dirigido pelo irmão do Papa - Globo - DN

Três excelentes notícias para a visita do Papa a Portugal. Outro dia era um Padre Espanhol, se não estou em erro, que se vendia a casais e que fazia tudo menos sadomasoquismo, depois é um assessor que prostituía seminaristas e sabe-se lá quem mais e agora são [mais] violações de menores por membros da Igreja (desta feita no coro dirigido por Georg Ratzinger).

A Igreja Católica é, sem dúvida, um excelente poço de [más] surpresas. Será que o Papa ainda vem a Portugal falar do casamento homossexual e do aborto? É que vendo bem os escândalos dentro da Igreja Católica... Começa-se a ver onde está, de facto, o moralismo e moralidade dos membros da Igreja Católica... Na sanita! O pior é que os defensores destes valores tão cristãos e que são meros seguidores desta denominação têm, não poucas vezes, uns telhados de vidro fantásticos. Pena que poucos lhes ousem atirar com umas pedritas (já agora isto está nos textos sagrados - apedrejamento)...

Se lhes chovesse na cabeça talvez acordassem, ou então não visto que a lavagem ao cérebro a que são sujeitos é bastante eficaz.

Mas o que verdadeiramente preocupa o Papa, demais hierarquia da Igreja Católica e ainda os seus seguidores é o aborto e o casamento homossexual, sobre os quais se exige que o Papa venha cá falar...

Obviamente que isto é tudo uma "evil plot" pelo lobby gay e sex militants (seja lá o que isso é) para destruir a sociedade...Ou isso ou então a culpa é do Sócrates... Se calhar o Rei de Espanha também sabia disto tudo e alguém lhe ligou para ele dar o aval, como disse Manuela Moura Guedes no parlamento...

P.S.: Será que já se decidiu quem vai pagar os 200 mil euros que custa lá o "pódio" onde o Papa vai dar uma missa?


Estava a pensar...

 
Até que o Sol se volte a levantar.

Estava a pensar em vir aqui falar de bullying. Mas fico-me pensamento. Porquê? Porque sim. Falarei quando isto for esquecido (e não levará muito). Para já, fica a revolta contra quem devia ter esta morte na consciência. Pela minha parte farei com que se lembrem... quando for preciso.