O resultado das eleições

As eleições de hoje fizeram-me entender porque é que este Portugal é pobre, atrasado e não consegue despregar-se de ser o pedinte da Europa. Hoje, os portugueses, perderam a autoridade para se queixarem de estarem na situação que estão.

Os portugueses, os que votaram, decidiram escolher para Chefe de Estado o homem responsável pela destruição das pescas em Portugal; o homem que escolheu vender a agricultura portuguesa a Franceses e Espanhóis a troco de mais uns milhões para por em betão; o homem que, apesar do curso que tem, decide dar a outros a gestão do seu dinheiro sem querer saber o que fazem desde que lhe caiam os lucro. Hoje escolheram um homem que diz que os problemas actuais do BPN estão nos gestores mas que também não os demite, aliás chama-os para o seu lado nas eleições. Escolheram o "mísero professor" de finanças que, recebendo as exorbitantes quantias de fundos da CEE, foi incapaz de controlar as finanças públicas mantendo sempre o país numa situação de deficit. Os eleitores, escolheram o homem que mandou a polícia contra manifestantes estudantis e operários impedindo a sua liberdade de expressão.

Neste Domingo, os portugueses, disseram que querem para Presidente o ex-Primeiro-ministro que os atirou hoje para o desemprego e a precariedade. Foi Cavaco que apostou durante 10 anos no desenvolvimento do país pelos salários baixos e em industrias sem futuro num país Europeu.

Os que decidiram não ir votar, também não poderão agora queixar-se mais. Ao deixarem o seu futuro nas mãos dos outros, terão agora que aguentar com as consequências dos seus actos.

Conclusão, hoje, percebemos que os Portugueses apoiam o actual modelo de desenvolvimento do país: salários baixos e precariedade laboral, um mau e ineficiente sistema educativo... Sem mais palavras, hoje os Portugueses escolheram ser e ter no futuro o país miserável, desprestigiado e pobre que hoje têm.

Longe vão os tempos em que Portugueses mais corajosos que estes que hoje vivem, decidiram arriscar tudo e partir em direcção ao desconhecido à procura de novos mundos e oportunidades. Esses tiraram o proveito e puseram o seu nome e país no mapa. Hoje, os portugueses decidiram continuar no canto obscuro para que foram atirados com a república e os cravos.

A mim, pessoalmente, provaram-me que não merecem que se faça seja o que for por eles. Hoje provaram-me que merecem que venha aí o FMI, merecem os cortes nos salários e os aumentos de impostos que estão a ter. Provaram-me que merecem estar limitados a trabalhos precários e às Novas Oportunidades. 

Assim se fez, agora que aguentem.

6 comments:

Miguel Loureiro said...

Elenáro
É isso aí e vou fazer link para amanhã. Obrigado

Elenáro said...

Ora essa. Eu é que agradeço!

Lelé Batita said...

Uma tristeza!

Elenáro said...

Olá Lelé! Bom ter-te de volta por aqui!

Anabela Magalhães said...

Não paguei para esse peditório...

Elenáro said...

Já somos dois Anabela!