Perdão! Divida de quem?



Hoje fiquei pasmado com o título da seguinte notícia: "Governo diz que taxa sobre o subsídio de natal é "imprescindível"". Pois... Mas ainda há uns meses Passos Coelho dizia o oposto. Mas adiante. Mal sabia eu que o melhor estava para vir.


Agora é que a porca torceu o rabo... Então a dívida agora já não é só nossa? Então a dívida agora já é do Euro? Mas então porque são Portugal, Grécia, Irlanda e agora Itália atacados e não a Alemanha e França? Não pertencem eles também à zona euro? E porque não o BCE? 

E já agora, pergunte-se ao PSD (e CDS também), porque é que andou na campanha eleitoral e mesmo antes a pintar o quadro que o problema era "português"? O que é que, de repente, os fez mudar assim tanto de opinião? Será por estaram agora eles no poder? Eu bem digo que a realidade dos factos altera-se dependendo do lado da mesa em que nos sentamos... 

Mas prossegue o ministro. "O ministro sublinhou que a medida é imprescindível para acelerar o esforço de consolidação orçamental de 5,9% para este ano e lembrou que a sobretaxa tem três características essenciais: extraordinária, universal e respeita o princípio da equidade social na austeridade."

Muito bem. Este ano tapa-se o buraco roubando quem já é chulado pelos impostos absurdos em Portugal. E para o ano? Espera o ministro, contra todas as previsões, que a economia cresça? É que se não cresce menos impostos se cobrarão. Assim sendo menos receita. Menos receita, maior deficit ou corte grotesco em tudo que é função do Estado, social ou não. Se isto se verificar, está o ministro em condições de dizer que não haverá outro imposto "extraordinário, universal e respeitador do principio de equidade social na austeriadade?"
.
E volta o ministro a falar em números sobre quem paga o quê. Diz ele: "Vítor Gaspar reiterou ainda que dos sujeitos passivos que pagarão a sobretaxa, cerca de 22%, pagarão menos de 50 euros e cerca de 50% pagarão menos de 150 euros". E eu volto a dizer que, se 22% pagam menos de 50 euros, então 78% pagarão mais e se 50% pagam menos de 150, então outros 50% irão pagar mais de 150%. Para quem é um perito na área, o ministro devia ser menos demagogo e mais sério naquilo que diz.

Já agora, ainda há muitos a acreditar que valeu assim tanto a pena ter atirado o país para um crise política, forçar a entrada de agentes externos nos nossos assuntos internos só para tirar lá o Sócrates? Mudou assim tanta coisa? Eu acho que não, mas posso estar enganado.

4 comments:

Anabela Magalhães said...

Mudou e estás enganado... eheheh...
Não te esqueças que agora tudo é passível de mudança em menos de 24 horas...

Elenáro said...

Lá está, Anabela. Eu continuo a achar que nada mudou. :P

O que mudou e muda é que estamos constantemente a passar de mau para pior estando neste momento o pais a ser governado por quem só soube criticar e adeptos de um modelo economico defunto. Companheiros ideológicos de Sòcrates, portanto, só que com amigos diferentes.

vmrp83 said...

Atendendo que neste momento somos uma província angolana (vejam lá os sócios das grandes empresas e grupos nacionais), estamos no caminho africano:
- governos mentirosos (incluindo o actual) que não abdicam das regalias
- um estado cheio de dívidas, que há sempre quem a financiar!!!
- somos "pretogueses" oficiais, trabalhamos horas e horas de graça, quando em qualquer país civilizado da europa ninguém faz uma hora extra de borla
- o crime compensa, só se prendem os tipos que alguém que manda, quer tirar do caminho

Mas também não tenho pena, as pessoas têm aquilo que querem e decidiram.
Mas fiz demais por este país, e este país só me tem "enterrado" e "enforcado" e por isso quanto mais esta Jangada de Pedra se dirige para ser uma Pretrogal menos quero saber e os que cá ficarem que se desemerdem.

Bjs e abraços e mts palhaços :)

Elenáro said...

Que mau feitio!... XD