Maus resultados a Português devem-se à preferência dos alunos pela via científica - JN

Maus resultados a Português devem-se à preferência dos alunos pela via científica - JN

"Edviges Antunes Ferreira considerou, em declarações à agência Lusa, que o "factor aluno" é a primeira causa destes resultados, na medida em que os estudantes estão cada vez menos preocupados com o exame de Português porque pretendem seguir sobretudo a via científica.

"Logicamente, eles têm mais preocupações em obter boa nota a Matemática, Física e Biologia" do que em Português, porque são aquelas disciplinas específicas do seu curso que vão contar para a média de entrada na universidade."

Adorei a noticia a começar pelo titulo justificada pela citação acima transcrita. Ou seja, a culpa é dos alunos que vão para ciências... Mas serão as notas das disciplinas nucleares (Matemática, Física, Química e Biologia) assim tão brilhantes? É que se forem eu calo-me. Se não forem, então o problema está noutro lado e esta senhora não sabe o que diz ou diz o que não sabe.

"Outro factor de peso para os maus resultados em Português resulta, segundo Edviges Antunes Ferreira, do "próprio exame", que este ano mudou de paradigma, colocando perguntas diretas sobre a função da língua a que os alunos não souberam responder.

De acordo com a mesma responsável, 80% dos alunos não souberam indicar o sujeito. Também na identificação de uma oração, a mesma percentagem de alunos falhou a resposta.

Pois, afinal a culpa não é só dos alunos das ciências. Afinal a culpa também é do exame. Mudou de paradigma... Pois. Eu pergunto-me se, um aluno no secundário, a um passo de ir para uma faculdade ou vida profissional,  não teve já anos suficientes para se descobrir e ensinar o que é o sujeito da frase? Mas mais interessante ainda. Seguindo a lógica da senhora, e sabendo que os alunos de ciências, então, preferem as disciplinas que lhes são mais úteis, porque não adoptar de vez um programa de Língua Portuguesa para ciências? Um programa que dê aos alunos as ferramentas necessárias para a sua vida profissional. Quer dizer, começamos no 5º ano e no 12º (7 anos depois) ainda andamos a perguntar o mesmo? Pois, enquanto se achar que o importante para se saber falar uma língua é a gramática andaremos sempre na cepa torta. Estes pedagogos, estes teóricos da teoria, bem... não vou terminar a frase. Aliás termino por aqui. Afinal eles são os peritos. Pena que a sua perícia não conduza a resultados nenhuns tirando estas tristezas.

6 comments:

adolescente gay said...

Cem desculpas.. nem comentários! XD

Beijinhos e porta-te mal!! ;)

Elenáro said...

Cem?!?! XD

João Paredes said...

A culpa é dos idiotas que não sabem e estão a ensinar, dos que os deixam estar nesses cargos, e dos que se põem a brincar com mariquices como acordos ortográficos que desfiguram a nossa língua em vez de protegerem a nossa identidade cultural e soberania.

Elenáro said...

Que biolência! XD Depois ainda te queixas que ninguém te curte! XD

Mas acho que subscrevo. De facto, há muita gente que devia estar a fazer outra coisa que não ensinar.

Quanto ao acordo ortográfico, sabes que o Brazil precisa de exportar livros... E é sempre preciso dar emprego a uns quantos senhores que, fora o acordo ortográfico, não se sabe bem o que andam a fazer...

Abraço!

João Paredes said...

Pois bem sei, mas eu não quero saber dos brasileiros... não ando a pagar impostos para os proteger a eles e para fazer o país deles desenvolver-se... ando a pagar impostos para manter o meu país e garantir os meus direitos... são esses que quero salvaguardados.

Elenáro said...

Neste momento eu estou mais preocupado com o que pago aos alemães... Isto de andar a pagar crises alheias...