Realidade e maneiras de a ver.



Todos sabemos que realidade é interpretada de forma diferente conforme nos situamos perante ela. Isto cria, obviamente, diferentes opiniões sobre o que se passa aos olhos de toda a gente. Contra isto nada. Contudo não deixa de ser interessante que haja quem mude de opinião conforme o lado da mesa em que se senta.

Enquanto Sócrates foi Primeiro-Ministro, Portugal estava a ser penalizado nos mercados internacionais por causa da falta de confiança destes no governo. Depois de uma trapalhada de patéticas justificações (salvo aquela que dizia que Sócrates estava a fazer um mau trabalho) para não aprovar o célebre PEC IV, entre as quais aquela que dizia que o problema estava em quem o ia implementar, eis que levamos o país a ser uma chacota na Europa, mudámos de governo e... maravilhem-se não mudou nada! Minto. Mudou. Neste momento, estamos bem piores do que estávamos com Sócrates. Aliás, as agências de rating, tão deificadas, de repente, viraram demónio.

Eu até acredito que Sócrates não merecesse confiança por parte das ditas agências mas, claramente, Passos Coelho também não merece muito crédito até porque, por muito que tenhamos descido, nunca com Sócrates tínhamos descido 4 lugares de uma só vez.

Agora, o Passos Coelho descobriu que afinal havia um plano maquiavélico do outro lado do Atlântico para destruir o que há neste lado. O que era dolorosamente evidente antes parece que agora só agora se tornou evidente a alguém que quis ser Primeiro-Ministro. Até Cavaco mudou o seu discurso agora que tem um "amigo" como Primeiro-Ministro. 

Por fim, ainda se dizia que Sócrates já estava a ir longe demais com tanto imposto e tal e coisa. Era preciso fazer diferente. Isto dizia Passos Coelho. Chegado ao poder, qual é a primeira coisa que faz? Aumentar impostos. 

Enquanto isto, andamos todos contentes. Se tivesse sido Sócrates a fazer isto era porque ele era incompetente. Como é Passos Coelho, já é porque ele é competente e, coitado, a isso é obrigado. Não quero com isto defender o antigo Primeiro-Ministro mas seria bom que os eleitores se apercebessem de uma vez por todas que votar nos mesmos ou nos seus amigos não nos vai levar a lado nenhum!

6 comments:

Miguel Loureiro said...

Elenáro
Quem está fora do jogo vê sempre melhor.
Atores diferente, diferentes realidades, para pior...
O que não entendo, é que para além de mim e tantos outros que não percebem nada de economia, vem dizendo há tempos no que isto ia dar e a as eventuais teorias da conspiração, tão denunciadas por todo o mundo.
Curiosamente, os especialistas, só agora DESCONFIAM de que há algo errado nos SISTEMA... Mas dizem que lá para o outono vão pensar no cas (depois das férias de nababos)...
E é esta gente que nos governa!
Les uns et les autres...

adolescente gay said...

Boas,

Elenário, compreendo-te, mas descordo contigo em certos pontos.

De facto, que vota "neles" que não se queixe.
O Miguel Loureiro fala dos especialistas... e eu pergunto: esses tais, são filiados em qual dos partidos .. PSD ou PS?! Pois os verdadeiros economistas, não aparecem nas tv's e nos jornais (porque razão?!...).... Sim, se fosse o Socrates a pôr estas medidas, era um horror, mas reconheço que este "sacrifio" (só para alguns) é necessario e não o critico porque sei que é necessario.. nem digo que ele mentiu, porque nunca acreditei nele.
Não sou partidário, tenho ideiais.

Beijinhos e porta-te mal!! ;)

Elenáro said...

Miguel

De facto, quem se põe de fora de uma qualquer realidade vê melhor.

Mas o problema, Miguel, é que esses especialistas, uns são especialistas comentadores e outros têm de defender quem lhes paga. Mais uma vês a realidade é distorcida para algum lado (aquele que mais convém).

Com os políticos, é a mesma coisa.

Elenáro said...

adolescente

O problema, rapaz, não é eles serem filiados até porque a filiação num partido é legitima. Eu também não sou filiado em nenhum partido porque não me reconheço neles. Não me reconheço em clubes partidários.

E tens razão que os verdadeiros economistas não aparecem na TV. Mas isso também não faz deles santos, até porque, como disse no comentário ao Miguel, eles têm de defender quem lhes paga o salário no fim do mês. Por isso é preciso ter sempre o devido cuidado mesmo com o que estes últimos dizem e fazem. Aliás, a Enron e outras empresas americanas que faliram era geridas por este segundo grupo de economistas e vê o caos que nos deixaram. :p

Eu não digo que o sacrifício não seja necessário. Há muitas mudanças que precisam de ser feitas em Portugal, com ou sem crise, as quais irão envolver sacrifícios. O problema é quando os sacrifícios são desproporcionados para uns a favor de outros.

Em todo o caso aqui o problema é outro. Não se trata até de pedir sacrificios. Trata-se da incoerência de quem acusa outros de mentir só para depois ser apanhado na mentira.

Era isso que eu queria dizer com isto tudo. Não é tanto a questão de Sócrates mentir ou não, nem tão pouco de Passos mentir ou não. Obviamente que não posso elogiar o comportamento mas repara que uns acusam outros de mentir e serem maus mas depois acabam por fazer tudo igual. Era ai que eu queria chegar! :)

adolescente gay said...

Elenário,

Pois, mas esses economistas trabalham consoante números de cifrão e não com números humanos - Esses economistas não deveriam ser críticos de TV ou de jornal, mas pergunto-me – a linha editorial desses Media (palavra em latim) é de que partido? Ou o dono, ou “financiador”??? Haverá sempre opiniões falsas, enquanto quem paga (ordenado, ou afins) é o principal beneficiado da crítica! Devemos ir a economistas livres, provavelmente serão universitários, não?! :)
Claro! Enquanto os sacrifícios não forem para todos, o sacrifício ficará entre aspas.
Em relação à Mentira “Croquetes Vs Lebre” digo-te apenas que são…. Políticos! Eles podem ser ambos mentirosos – que fique bem claro, sou contra a mentira! – Mas desde que façam o trabalho deles em beneficio dos portugueses….. Vimos que o Sócrates não fez, vejamos como faz o Coelho.

Beijinhos e porta-te mal!! ;)

Elenáro said...

Os Media neste momento, a maioria, ao contrário do que se fez crer estão nas mãos de amigos do PSD. Alguns são mesmo deles (SIC e companhia).

A RTP vai andando ao sabor da corrente conforme quem está no governo (se bem que acaba por ser a mais imparcial).

A TVI andava a fazer o jogo do PSD. Agora anda a recuperar a qualidade perdida desde que Manuela Moura Guedes saiu. De que lado vai ficar no final, ainda se está para ver.

Em todo o caso, tudo isto acaba por ser normal. O problema da Comunicação Social em Portugal é não ter coragem para assumir claramente as suas opções políticas e depois viver com isso. É a falsidade de tentar ser "neutro" quando não se é.

Assim sendo, tudo que seja comentador vai ter de seguir esta linha e, no final, não dizem coisa com coisa porque sabem a verdade mas andam a navegar à vista.

Digo-te também que os das Universidades não são melhores nem piores que os outros. :p

Quanto às mentiras, eu já pensei como tu: desde que façam o melhor para o país, tolera-se as aldrabices. O problema é que as aldrabices, hoje em dia, são para eles ficarem a ganhar e não para o bem do país. Até porque a incompetência é tal que, mesmo que tivessem vontade, não teriam capacidade para fazer pelo "Bem" comum. :p

Mas a ver vamos, como tu próprio dizes.