Resultados do Referendo

Aquando da publicação deste post os resultados Nacionais eram:

Sim - 58.79%
Não - 41.21%
Abstenção - 56.57%

Análise:

Ora bem... Pelos vistos parece que sempre ganhou sim. Ficam agora por saber duas coisas:

1- Porque é que o sim ganhou? Terá sido porque as pessoas ficaram todas com pena das "pobres mulheres" que engravidaram por não tomarem elas próprias ou os seus pareceiros as devidas precauções ou terá sido por outra qualquer razão, entre as quais se pode incluir a do votar sim porque simplesmente as pessoas são maiores e vacinadas para arrecadarem com as consequências dos seus actos (se querem fazer do aborto a salvaguarda para não tomarem as precauções necessárias para evitar uma gravidez, então que façam e que arruinem os seus corpos!)?

2- Quanto tempo vai demorar até as pessoas perceberem a hipócrisia por detrás de muitos dos defensores do sim? Aborto ilegal irá continuar a haver! Mulheres a serem julgadas pela prática do mesmo irá continuar a haver! Mulheres a irem parar ao hospital por práticas de aborto ilegal irá também continuar a haver! Enfim, os problemas irão manter-se.

Uma última conclusão... Quem continua a ganhar todas as eleições, sem sombra de dúvidas, é a nossa amiga abstenção. Pois claro, para quê ir votar? Quem quiser que decida que depois nós protestamos por não termos ido dar a nossa opinião!...

Acho que quem assim pensa deve ser louvado por ter dado um passo mais no caminho da ditadura!


Curiosidade:

Na minha rica freguesia no mui nobre concelho de Matosinhos o sim ganhou com 70.57% dos votos e a abstenção foi apenas de 45.53%. No meio de tanta tragédia sinto-me orgulhoso! :D

Cumprimentos "demênticos"!

Fonte: Site da RTP (http://www.rtp.pt)

6 comments:

Di said...

11 de fevereiro: o dia em k o povo portugues provou que ate as mentalidades mais retrogadas se alteram e evoluem...sempre tive esperança k o "sim" ganhasse, mas tb tinha um certo receio k o conservadorismo e os falsos moralismos vencessem mais uma vez...parece k não =)

muitos dos problemas k referiste ate podem manter-se...pensar que os abortos vão pura e simplemente deixar de acontecer é fantasiar a realidade...mas acredito k com a lei que resulta deste referendo, os problemas podem ser minimizados. A mulher e livre de decidir e não mais sera penalizada por isso...

a abstenção realmente nunca falta...esta sempre presente e bem vincada, reflectindo a inercia e o comodismo do "portuga"...k como dizes e mt bem so sabe protestar sobre akilo para o qual eles próprios contribuiram la la la...

fica bem!:)

beijoooo***

marta said...

se não sabes porque o sim ganhou para que é que votaste em primeiro lugar? sabes que existem os votos em branco? é a melhor solução para quem, tal como tu, acha que ker o sim, ker o não é hipócrita... eu estava no gozo kd disse que te batia :P

e desculpa a sinceridade mas maior hipocrisia foi o facto de teres ido votar numa solução na qual não acreditas :S

apesar da abstenção, eu sinto-me orgulhosa...dos portugueses, das mulheres k foram sujeitas a julgamentos e de todos aqueles k perceberam a diferença entre dar uma opção e impor algo...foi a minha primeira votação e fiz akilo k muita gente n consegue fazer durante toda uma vida: votar nakilo que defendia e plenamente consciente das mudanças k o sim traz consigo...

e não podes meter tudo no mesmo saco...a irresponsabilidade das pessoas não justifica as mortes das mulheres em vãos de escadas...o facto de muitos casais não poderem ter filhos, não implica k todos os outros sejam obrigados a ter 1, 2, 3, 4 crianças... e se bem me lembro, numa das conversas k tivemos no msn, tu próprio dissest k nas alturas mais 'quentes', é natural que nem sempre nos lembremos de tomar as devidas precauções...acho que ninguém deve pagar um erro momentaneo para toda a vida...

por isso...estou feliz...porque agora sei k se amanha ou dps estiver numa situação semelhante, que vou ter opção, que não vou ser julgada por kerer adiar algo k iria mudar drasticamente a mh vida...

beijo***

plmota said...

Quer dizer que não vamos pra rua com paus e facas????
:'((((((((((((
E que tal um referando sobre uma ditadura?
tipo:
"Concorda que em Portugal se volte a instaurar um regime ditatorial?
Sim:
Sim: "

Aí ja podiamos ir pra rua????

Ps:Voto nulo é sim uma opção, válida na minha opinião, mas ignorada pelos meios de comunicação e pelos politicos.....

Elenáro said...

Resposta à carissima leitora marta:

Eu voto sim não por hipócrisia, como tu disseste, mas porque acho que as pessoas são maiores e vacinadas para saberem se querem ou não arruinar o seu corpo. Afinal quem sou eu para dizer às pessoas, mulheres neste caso, para tomarem as devidas precauções usando, elas mesmo, meios contraceptivos ou dizendo ao seu parceiro para usarem eles o tão afamado preservativo de modo a prevenirem as gravidezes indesejadas (bem como as DST como a sida, sífilis, etc, etc, etc...)?

Se querem não usar, então não usem. Também são maiores e vacinadas para o fazerem! Depois decidem se fazem aborto ou não se a coisa correr mal. Se uma mulher prefere arruinar o seu corpo, quem sou eu, um homem, um ser humano incapaz de engravidar e como tal de abortar também, para dizer para ela não o fazer?

Volto a dizer as pessoas são maiores e vacinadas e como tal devem ter total liberdade de fazerem o que acham que devem.

O que eu também digo é: não esperem que os problemas que o sim se propôs a resolver venham de facto a resolverem-se.

Tenho dito.

marta said...

é fodido quando somos comodistas e pensamos que o facto de um problema nunca nos atingir é razão suficiente para não acreditarmos na solução mais eficiente...

e sim, defender algo no qual não acreditamos é, senão hipócrisia, muita falta de coerência...

Gwen said...

Estive até ao último momento dividida entre o Sim e o Não. Acabei por votar Sim, por uma razão muito simples... não me acho com o direito (nem acho ninguém) de acusar ou julgar outra mulher que, pelos mais variados motivos, recorreu a esta prática. No entanto, chocou-me um pouco alguns comentários que ouvi depois, como "foi uma grande vitória" e uma série de idiotices do género. Vitória, para mim, será quando por opcção, se façam apenas abortos terapeuticos. Por OPCÇÂO, não por imposição.
Pessoalmente posso orgulhar-me de não ter feito nenhum - acho que não seria capaz - (apesar de não poder ainda atirar pedras pró alto). Estou casada há 26 anos, tenho 1 filho e fui mãe com 17. Sim, há muita coisa para o evitar, e acho que é nisso que se deve apostar - e tenho esperança (sou sonhadora) que cada vez mais as pessoas estão informadas e cada vez mais saberão fazer as suas escolhas. POrque não é só a saúde da mulher que está em causa... gostemos ou não, também está em causa outro ser vivo. Mas culpar uma mulher disso, principalmente as mais carenciadas... Não, obrigada.