Review: Star Trek


Hoje venho aqui fazer uma crítica ao mais recente filme de Star Trek que tanto furor anda a fazer por esse mundo fora.

Começo por dizer que, face às excelentes críticas que o filme tinha vindo a obter as minhas expectativas tinham aumentado consideravelmente. No entanto, após ter visto o filme devo dizer que fiquei extremamente desapontado e sem perceber como ele tem tido tão boas críticas. Pergunto-me mesmo se toda a gente que diz tão bem do filme terá visto o mesmo que eu.

Passo então a explicar. O filme está excelentemente fabuloso no que diz respeito aos efeitos especiais e os actores (de uma maneira geral) estão muito bem nas suas performances e na incarnação das personagens. Todas são facilmente identificáveis dando, desde já, um particular ênfase ao actor Karl Urban que não podia ter feito melhor a vestir a pele do médico Leonard McCoy.

Mas penso que os pontos fortes do filme ficam-se por aqui. Tudo o resto está a um nível medíocre ou então francamente mau. Veja-se, a história em si tinha grande potencial mas no filme tudo cai aos trambolhões e as cenas fora de contexto são mais que muitas bem como aquelas que nada acrescentam ao filme. Depois esta está repleta de incongruências de toda a ordem a começar pelas questões cientificas. Dou dois exemplos:

*SPOILERS*

Ao contrário do que tinha sido sempre feito até aqui em toda as séries de Star Trek, a USS Enterprise não é construída no espaço mas sim no estado do Iowa (EUA), na Terra. Se bem que eu tinha logo dito que não percebia bem como eles iriam conseguir explicar como é que uma nave de 700000 toneladas consegue escapar à gravidade terrestre, o filme veio comprovar o que eu pensava. Há uma cena da nave a ser construída na Terra e depois a nave só é voltada a ser vista já prontinha no espaço. Ou seja eles não explicam aquilo.

Outro exemplo é quando a Enterprise sai de Warp directamente para a atmosfera de Titã. Assumindo que a nave não se desfazia por completo ao desacelerar directamente para o centro de dois campos magnéticos em interacção, parece-me que a reentrada seria um pouco mais violenta do que aquilo que foi mostrado.

Ainda a juntar a isto devo dizer que há partes na história que eram perfeitamente dispensáveis, nomeadamente a destruição de Vulcan. Esta não serviu de nada para a história do filme senão para se ver um planeta a ser destruído (já agora, de Delta Vega para Vulcan ainda vai uma distância logo seria impossível ver Vulcan daquele tamanho no céu).

*FIM DE SPOILERS*


Incongruencias à parte, o filme, na minha opinião está tal e qual um filme do Michael Bay só que ainda pior (o Michael Bay precisaria de ter tomado esteróides para realizar um filme assim). Toda a santa cena de acção do filme tem uma piada pelo meio. A dada altura o filme mais parece uma versão do filme Spaceballs adaptado ao Star Trek).

Os efeitos especiais, se bem que soberbos, não escapam à minha critica na medida que são senão iguais extremamente próximos dos sons das naves de Star Wars, de George Lucas, na sua última trilogia.

Resumindo, quem gosta de filmes com grandes efeitos especiais e não se importa de uma história cómica e medíocre pelo meio, então este é o seu filme. Espero no entanto com grande antecipação por uma sequela para ver se eles conseguem de facto dar a volta a estes pequenos problemas.

6.5 em 10.

2 comments:

Vitor said...

Acho que vais "ir aos arames" lol

http://prioradodeidiotas.com/oindesmentivel/?p=1021

Vitor said...

Concordo com a tua opinião no que aos actores diz respeito, o Chris Pine está fabuloso de boxers........... nem tenho palavras!

Não achei medíocre a história em si, tá muito no "fantástico". Não podemos ser tão sisudos, é para divertir :P

A nave é fácil explicar, está no Iowa porque eles agora que legalizaram o casamento gay é mais fácil ter os convidados perto do registo civil (ver http://www.youtube.com/watch?v=tO9rjitH0JE ).

E também 700000 ton não são nada, curva-se o espaço e xanaaaaaaaaaaa Iowa -> Espaço ...

lol lol lol