Desvarios e desilusões...

Após um longo intervalo decidi vir aqui perder um bocadinho de tempo para deixar qualquer coisa... Assim a modos como abrir uma janela de uma casa para evitar que ela ganhe cheiro a mofo e impedir acumulações exageradas de pó. Fiquei, no entanto, perdido sem saber bem o que escrever. Até cheguei a pensar que nada tinha para dizer.. E, de facto, não tenho.

Repare-se: o país continua louco. O governo não mudou e nem sequer muda. Os partidos da oposição continuam a fazer campanha eleitoral e a sabotar tudo e todos, incluindo, a eles próprios. A justiça continua igual a ela própria. A título de exemplo, faço cito o que Rita Ferro disse no seu programa de rádio do qual agora não me lembro do nome e, por imposição de uma doença chamada perguicitis agutis, me recuso a ir procurar. Disse ela, então, que um tribunal português condenou a não sei quanto tempo de prisão um rapazito por ter feito download de uma música e por a ter partilhado. Disse ela também, e muito bem, que houve muita rapidez para condenar um pobre desgraçado mas não há nem rapidez nem vontade de resolver casos como o da Casa Pia. A educação, agora em compasso de espera para as aulas recomeçarem, continua igual. E vou poupar o leitor com mais coisas deste patético país. Creio bem que todos saibamos no estado que estamos e tudo o mais, independentemente de só protestarmos ou de até irmos fazendo alguma coisa para que as coisas se resolvam ou ainda que as façamos só por e para interesse próprio.

Enquanto isto, alterei o título do posto de Desvarios para Desvarios e desilusões. Se calhar desilusões está errado e tristeza seria um melhor termo. Recentemente comecei a trabalhar com alunos mais novitos, algo que não tinha pensado e que até tentei evitar mas, quando surgiu a oportunidade lá acabei por aceitar. Tem sido uma experiência no mínimo interessante, se bem que continuo a preferir trabalhar com adultos. No entanto, esta experiência permitiu que eu tomasse contacto com uma realidade que muito me assustou e até surpreendeu. 


Já sabia e esperava que estas novas gerações fossem mais desleixadas e, peço que me desculpem pela brutalidade do que vou dizer agora, mais estúpidas. Não porque sejam na realidade menos inteligentes daqueles que antes deles vieram. Não, muito pelo contrário. Potencialidade é coisa que não lhes falta mas, por razões que ainda não percebi muito bem, não têm motivação para nada e objectivos de vida é um conceito que eles nem sequer têm. Nos mais jovens alunos que tenho ainda consigo perceber. Devido à idade, a única coisa que lhes passa pela cabeça é brincadeira. Maldita será esta vil sociedade que insiste, de uma maneira ou de outra, e por mero self-interest dos adultos roubar-lhes a meninice própria e hoje possível de ser gozada em pleno. No entanto, nos mais velhos, naqueles que já têm de pensar no seu futuro, quanto mais não seja no escolar, nesses vejo falta de... bem, tudo. Uns não sabem o que querem e os que sabem aspiram a ser medíocres. Não há mais sonhos de grandeza típicos da juventude naquelas cabecinhas. Resignam-se à realidade a serem apenas meros e médios seres humanos. 

Ultimamente, com isto me tenho preocupado. Com os adultos sempre tentei quebrar isto. Um elogio, uma palavra de incentivo ou até mesmo um desafio a serem melhores, quanto mais não seja nas minhas aulas, faz milagres. Certo que o esforço para mim é bem maior do que apenas palrar mas, no entanto, a satisfação de, no final as coisas correrem bem e eles virem o quanto foram capazes, é igualmente maior. Infelizmente, quando as coisas correm mal e o incentivo não foi suficiente ou o desafio capaz de os puxar, a desilusão que se instala é devastadora. 

Mas agora e com estes jovens? Desafiá-los? Incentivá-los? Bem, resulta, mas por mais que trabalhem e se esforcem falta-lhes a chama. O fogo que arde na juventude e nos queima para a velhice neles não vive. E porquê? Depois de muito revirar a mente e de pensar bem e de tentativa e erro nas aulas, creio que percebi o que lhes falta: afecto, auto-estima e, sobretudo, individualidade. 


 A sociedade em que vivemos e que os pais e avós deles criaram, rouba-lhes isso tudo. A começar pela família que não sabe educar os filhos. Não lhes dá os afectos que eles naturalmente precisam. Compensam com o acessório que são os bens materiais, roupa, sapatos, telemóveis... Falta-lhes auto-estima porque na escola, muitas vezes, os professores (e seja com justa-causa ou não) palram as aulas em vez de fazerem dela um espaço de self-improvement. Finalmente, falta-lhes a individualidade porque não há hoje na sociedade espaço para as diferenças, espaço para o pensamento livre, sobretudo aquele que é contrário à opinião dominante. A roupa é e tem de ser igual à dos "Morangos com Açucar" ou correm o risco de ser insultados e expulsos do grupo. A comida é aquela feita em massa nos centros comerciais, aquela que nada mais é do que enfarda porcos para a matança. Em todo o lado, casa e escola, os jovens são quebrados para serem mais facilmente dominados e depois assimilados por esta cultura neo-liberal e conservadora que apenas serve para alguns manterem o seu estatuto e posição social. 

Que nos estávamos a matar a nós [adultos], isso já não era novidade, mas nunca antes se submeteu a juventude a tanto controlo social, a tanta regra e punição. Nunca antes se tentou tanto normalizar os mais novos. No dia que se acabar com a rebeldia típica dos mais novos, o mundo ficará negro. Negro pois nada jamais mudará. Quem muda o mundo são os mais novos pois são eles que, por ainda não estarem "normalizados", impõem novos padrões e maneiras de agir na sociedade. Assim foi até hoje. No futuro, pelo que vejo, não será assim. Fico triste.

P.S.: Para quem não tinha nada para dizer escrevi um testamento.

P.P.S.: Sei que o texto está ensopado de anglicismos mas não me apeteceu rebuscar a mente à procura dos termos em Português. 

P.P.P.S.: Também não reli o que escrevi e acho que não o vou fazer. Erros, incoerências de discursos que eventualmente possa haver... Sugere-se que assobiem para o lado ou escolham esse momento do texto para beberem um copo de água fresca e que depois recomecem no paragrafo seguinte. XD

9 comments:

Em@ said...

Ahahah, meu querido Elenáro, acabaste por neste post dares-me razão a mim e a outros que dizíamos isto mesmo aqui há uns tempos quando mal nos conhecíamos.Não sei se te lembras dos tempos antigos no Prof.Eu por opção prefiro trabalhar com alunos mais novos...ou então que já tenham ultrapassado a idade da alforreca.Portanto...

ai o calor não me deixa pensar!
beijo

Eu said...

Parabéns pela diarreia mental meu caro!
Quanto à tua opinião sobre o que falta aos jovens, na minha opinião, seria mais correcto falar de uma falta de identidade, ou na ausência da busca por uma.
Individualidade é algo que a juventude é incentivada desde muito nova a ser. Sem haver espaço para um grupo de verdadeiros amigos (já falamos sobre isto ;) ).
Agora a busca por uma identidade é o que nos faz questionar tudo, nos leva a alguma revolta e mesmo à irreverência. É o acende qualquer coisa dentro de nós… O tal fogo que dizes não sentir neles.
A minha solução para mais este problema no pais é a mesma que para os outros todos.
Nada melhor para acordar uma juventude apática que uns anitos de ditadura.

Vitor said...

não te peço desculpa com o que te vou dizer, apesar de vontade para m dar um arraso não te irá faltar. mas acho que as pessoas em geral deviam estar mais atentas à publicidade da SUMOL...

tanto tu, como os que aqui comentaram, e tb não m ponho de fora, mas depois da "casa dos 20" vemos o mundo ao contrário.

os miudos/as hj não fazem mais do que Nós todos faziamos com a idd deles, tao simples quanto isso.

aliàs Nós mais velhos, parece que nos esquecemos que uns anos atras "nos" dedicavamos mais a praticas ilegais do que os adolescentes de agora.
que fodiamos mais propriedades de terceiros e quando hj nos lembramos disso até nos rimos como se alguem nessa epoca não tivesse sido prejudicado/a. que a droga era um problemas constante e muito mais preocupante nos 80's e 90's, sobretudo as pesadas. parece que Nós mais velhos nos esquecemos que as novas gerações fumam muito menos que Nós mais velhos, a informação disponível era a mesma de agora...

querem mais?! os novos de agora podem ter mts defeitos, mas tb nunca lhes vi tanta humildade como agora - pq não vou generalizar o facto de uma duzia não o ser - ...

E os mais novos têm razão:
- lutar pelo quê?
para serem constantemente minados

- objectivos?
diferentes dos nossos , mas bem mais interessantes

eu dou-lhes uma certa e mta razão, objectivos, lutar uma vida, bater a bota cair num caixão... lutar uma vida, enriquecer o patrão, ir pó olho da rua no fim do contrato a recibos verdes e o objectivo fica-se por isso mesmo

o que tem a escola para lhes oferecer?
professor não é profissão, é pseudo-status para se mostrar à plebe (sim plebe, pq PT é uma república muito feudal)... e os mais novos sentem isso na escola, como noutros tempos assim o foi (eu não me esqueço da escola doutros tempos, pouco ou nd mudou)

os pais enfim! têm defeitos, mas não fazem a maioria. e voltamos assim ao inicio, 'tá-se a generalizar uma meia-dúzia.

e voltando aos objectivos, que objectivos têm os mais velhos? nenhum: arranjar trabalho, ter dinheiro para pagar a prestação da casa e do carro, e tentar mostrar ao vizinho que vive uma vida de sonho, a criação e manutenção da inveja. e vivendo miseravelmente sem verdadeiros amigos e com uma familia que chega ao ponto que ja não suporta. mas é td boa gente porque aparenta.

mas fora da escola e já no mundo do trabalho, digo pq o vejo, trabalham bem melhor e mais perfeito - o mundo do calo é o meu, não o do Alice no País das Maravilhas...

Há de facto algo que os mais Novos são diferentes de nós, são mais unidos, mais amigos.

No fundo a inveja dessa liberdade de ser e mostrar o que são, face aqueles que são mais velhos que só aparentam e vivem a contruir a aparencia. Sim os objectivos são bem diferentes...

objectivos dos mais novos: estar feliz
e eu apoios

Vitor said...

não te peço desculpa com o que te vou dizer, apesar de vontade para m dar um arraso não te irá faltar. mas acho que as pessoas em geral deviam estar mais atentas à publicidade da SUMOL...

tanto tu, como os que aqui comentaram, e tb não m ponho de fora, mas depois da "casa dos 20" vemos o mundo ao contrário.

os miudos/as hj não fazem mais do que Nós todos faziamos com a idd deles, tao simples quanto isso.

aliàs Nós mais velhos, parece que nos esquecemos que uns anos atras "nos" dedicavamos mais a praticas ilegais do que os adolescentes de agora.
que fodiamos mais propriedades de terceiros e quando hj nos lembramos disso até nos rimos como se alguem nessa epoca não tivesse sido prejudicado/a. que a droga era um problemas constante e muito mais preocupante nos 80's e 90's, sobretudo as pesadas. parece que Nós mais velhos nos esquecemos que as novas gerações fumam muito menos que Nós mais velhos, a informação disponível era a mesma de agora...

querem mais?! os novos de agora podem ter mts defeitos, mas tb nunca lhes vi tanta humildade como agora - pq não vou generalizar o facto de uma duzia não o ser - ...

E os mais novos têm razão:
- lutar pelo quê?
para serem constantemente minados

- objectivos?
diferentes dos nossos , mas bem mais interessantes

(continua)

Vitor said...

eu dou-lhes uma certa e mta razão, objectivos, lutar uma vida, bater a bota cair num caixão... lutar uma vida, enriquecer o patrão, ir pó olho da rua no fim do contrato a recibos verdes e o objectivo fica-se por isso mesmo

o que tem a escola para lhes oferecer?
professor não é profissão, é pseudo-status para se mostrar à plebe (sim plebe, pq PT é uma república muito feudal)... e os mais novos sentem isso na escola, como noutros tempos assim o foi (eu não me esqueço da escola doutros tempos, pouco ou nd mudou)

os pais enfim! têm defeitos, mas não fazem a maioria. e voltamos assim ao inicio, 'tá-se a generalizar uma meia-dúzia.

e voltando aos objectivos, que objectivos têm os mais velhos? nenhum: arranjar trabalho, ter dinheiro para pagar a prestação da casa e do carro, e tentar mostrar ao vizinho que vive uma vida de sonho, a criação e manutenção da inveja. e vivendo miseravelmente sem verdadeiros amigos e com uma familia que chega ao ponto que ja não suporta. mas é td boa gente porque aparenta.

mas fora da escola e já no mundo do trabalho, digo pq o vejo, trabalham bem melhor e mais perfeito - o mundo do calo é o meu, não o do Alice no País das Maravilhas...

Há de facto algo que os mais Novos são diferentes de nós, são mais unidos, mais amigos.

No fundo a inveja dessa liberdade de ser e mostrar o que são, face aqueles que são mais velhos que só aparentam e vivem a contruir a aparencia. Sim os objectivos são bem diferentes...

objectivos dos mais novos: estarem felizes
e eu apoios

objectivos dos mais velhos / à medida que se envelhece: ter dinheiro e a mania que sabem mais que os outros

no fundo nada de diferente nos ultimos milenios "vira o disco e toca o mesmo"...

Elenáro said...

Tu percebeste-me mal... lol eu não estava a dizer mal dos mais novos :P

Em todo o caso se os conhecesses, pelo menos aqueles a quem dou aulas, os objectivos não são muitos ou não serão deles.

Eu sei que o [meu] texto foi longo maaaaaaaaas! Acho que não o leste direito... lol

Repara bem que acabaste por me contradizer em muito pouco. XD

Mas há uma coisa que te digo e acho que acabarás por me dar razão se te deres ao trabalho de analisar as relações entre os miúdos de hoje. Hoje um amigo é aquela pessoa que vai connosco para os copos e mais nada. Cumplicidade e apoio nos momentos de mais aperto não faz parte do conceito de amizades dos jovens de hoje.

Por isso acho que ai no "mais unidos, mais amigos" acho que estás completamente errado.

E, já agora, eles não querem estar felizes. Se quisessem pensavam no dia de amanhã, coisa que eles não fazem. :P

E com isto já me atrasei "pro work".

Abraço!

Elenáro said...

Em@ e Eu

Não estou esquecido de vossas excelências. :P

A vossa resposta virá. ;)

Em@ said...

:(

adolescente gay said...

Olá!

Concordo com o texto...
Embora haja excepções!...

Abraços!