Finalmente!

Foi preciso alguém vir de fora de Portugal, Irlanda mais concretamente, para escrever uma biografia séria e sem tabus, uma biografia onde se diz as coisas como elas foram sem o insulto da esquerda ou o elogio da extrema-direita. A história de Portugal ficou mais rica. Pena é que cá, a mesquinhez e a cobardice tenha impedido alguém de o ter feito.

"O regime salazarista não era um monolito" - Gente - DN

6 comments:

Miguel Loureiro said...

Elenáro
Realmente deves ser muito mais novo que (eu sei), caso contrário terias sido obrigado a viver nesse tempo e saber como era.
Não li, nem vou ler o livro do irlandês, que deve ter feito uma investigação livreira, com base em todos os trabalhos censurados...
Falarem-me do Salazar, é a mesma coisa que me falarem do vírus da Gripe A(mericana), H1N1, só que o 1º existiu e dizimou e o 2º só fez de conta e aumentou a conta de alguém...
Perdoa-se, mas não se esquece.

Elenáro said...

O homem é português imigrado na Irlanda. De qualquer das maneiras, do ponto de vista histórico já cá faltava algo distanciado.

Isto não se trata, como disse no post, de um elogio ou de uma condenação. Trata-se de falar de alguém que existiu e que teve um enorme impacto para a história de Portugal. Se foi bom ou mau, isso é para outro tipo de análise.

Agora, e generalizando, não é por não se falar nas coisas que elas deixam de existir ou se diminui o que bom ou mau veio delas.

A SIDA, por exemplo, também não se falava nela. Vê no que deu. Na Alemanha, a "herança" Nazi também não foi esquecida. É falada nas escolas para evitar que se volte a repetir.

Um abraço!

Anabela Magalhães said...

Olha... parabéns a vocêeeeeee...

Elenáro said...

Obrigado Anabela, mas, como disse à Em@, é so dia 21 ;)

Em@ said...

Parabéns!
Parabéns!
Parabéns!

desculpa ter-te feito mais velho um dia antes! imperdo«ável! :D

tudo de bom!

Anabela Magalhães said...

Pois! :(
Olha... beijocas e fica bem! :)